Um assaltante foi morto a tiros por um policial militar, na manhã de ontem (14), em frente ao trailer da PM, na Praça do Portinho, no Bairro de Fátima. A vítima tinha acabado de praticar o crime conhecido como “saidinha bancária” contra dois homens, que haviam sacado a quantia de R$ 5 mil em um banco da Areinha.

De acordo com as primeiras informações, as vítimas da “saidinha bancária” estavam em um veículo Hilux, de placa OJG-1208, foram seguidas até o Bairro de Fátima e, no momento em que um deles desceu do carro, o criminoso anunciou o assalto. No entanto, a polícia foi acionada e tentou prender o acusado que reagiu.

Homicidio no BF_foto Gferreira (10)Após ser baleado, assaltante ainda tentou fugir, mas não resistiu aos ferimentos. (G. Ferreira)

O sargento Edmar, que estava na abordagem, disse ter se defendido quando atirou contra o acusado, que tentou fugir correndo, mas caiu morto a cerca de 100 metros do trailer da PM. O outro assaltante conseguiu escapar na motocicleta.

O coronel Pereira, comandante do 9º BPM, esteve no local e reforçou a ideia de que o militar agiu em legítima defesa. “O policial é treinado para defender a população e reagir somente quando tiver a vida em risco”, contou.

Com o homem morto, a polícia encontrou apenas um revólver, um celular e um relógio de pulso. O dinheiro subtraído da vítima não foi encontrado pela polícia. “Algumas testemunhas disseram que o dinheiro caiu no chão e foi pego pelos populares. Outras falaram que o valor foi levado pelo outro assaltante”, disse o coronel Pereira.

Peritos do Instituto de Criminalística (Icrim) estiveram analisando a cena do crime e detectaram que a vítima foi atingida com um tiro na região do peito, outro no antebraço e um na perna. O acusado de realizar roubo não portava documento de identificação, aparenta ter 25 anos, estava trajando calça jeans, camisa social, sapatênis marrom, possuía uma aliança no dedo da mão esquerda e usava uma bolsa de couro preta. Ele possuía três tatuagens pelo corpo, uma do sol com a lua nas costas, a cara de um dragão na costela direita e uma caveira na coxa esquerda.

O corpo foi removido no início da tarde, por volta das 13h, para o Instituto Médico Legal (IML). Até o fechamento desta edição, por volta das 21h, o jovem morto não havia sido identificado. O caso é investigado pelo delegado Jeffrey Furtado, da Delegacia de Homicídios. (Por Valquíria Ferreira)