Banco da Amazônia cria linhas de crédito para as pessoas físicas e jurídicas e dá estimulo ao turismo
Tornar realidade o sonho alimentado por muitas pessoas de conhecer lugares diferentes, em busca de lazer, cultura, aperfeiçamento profissional etc. Este é um dos objetivos das linhas de crédito lançadas, terça-feira, dia 12, pelo Banco da Amazônia, que financia a viagem – da passagem a hospedagem, passando pelas demais despesas, como alimentação, traslado etc – e parcela este valor em até 36 vezes, ou seja em três anos, a juros compensadores.

No lançamento das linhas de crédito, uma voltada para as pessoas físicas e a outra para as agências de viagens, o superintendente regional, Luiz Euclides Feio, disse que, dentre as muitas ações do Banco da Amazônia, está a de estimular a atividade turística, até porque o banco atua numa das regiões que mais atraem visitantes para o Brasil, e o Maranhão, pelo potencial que tem, tanto no turismo emissivo quanto no receptivo, não poderia ficar de fora deste programa.

A Associação Brasileira das Agências de Viagens – Abav-MA é a principal parceira do Banco da Amazônia neste programa. Segundo sua presidente, Ana Carolina Madeiros, a criação dessas linhas de crédito pode tornar a atividade turística ainda mais vantajosa. Muitas agências, acredita, vão poder agora oferecer seus pacotes de forma mais atrativa, até porque terão a oportunidade de comprá-los das operadoras de turismo por um valor mais vantajoso. De fato, pelo Amazônia Turismo Empresarial, o Banco da Amazônia disponibiliza uma linha de crédito para que os pacotes sejam adquiridos pelas agências a vista, ou seja, com barganha para redução do seu valor.

Iniciativa – Presente à solenidade de assinatura de convênio entre o Banco da Amazônia e a Abav, o secretário municipal de Turismo, Sérgio Rodrigues, elogiou a iniciativa da instituição financeira, pois nem sempre aqueles que sonham em viajar dispõem de recursos próprios para este tipo de empreitada, mas quando aparece um banco oferecendo facilidades, mais pessoas poderão estar embarcando nos próximos anos para os mais diversos lugares, e ele espera que boa parte dos contratos firmados nos estados vizinhos seja para roteiros que tenham o Maranhão como destino.

Um outro ponto positivo desta iniciativa é que o Banco da Amazônia, ao contrário de outras instituições financeiras, não se apresenta como concorrente, mas parceiro das agências de viagens, pois está demandando clientes para elas.

Já o superintende Euclides Feio adiantou que outras ações vão ser desenvolvidas para estimular mais ainda o Turismo. Para o próximo ano estão previstas, por exemplo, rodadas de negócios com o trade turístico das Guianas Francesas, a fim de atrair visitantes para o Maranhão e outros estados da Amazônia Legal. Todos os dias, como destacou Euclides Feio, dezenas de pessoas passam por Belém e São Luís com destino a Forteleza – CE, já que existem vôos diários nestas rotas, e boa parte desses turistas poderia passar pelo menos duas noites nestas capitais, mas é preciso mostrar o que elas têm de atrativos culturais, ecológicos e de lazer também.

Por outro lado, Kayena, capital das Guianas, é uma das cidades da América do Sul com muitas características européias, até porque este território, por pertencer à França, está incluído na União Européia, portanto vale a pena conhecer, principalmente se for levada em conta a afinidade com São Luís, ambas fundadas por franceses.

Ele aproveitou a oportunidade para falar de outras ações que comprovam o compromisso do Banco da Amazônia com a região, e ressaltou o cartão de crédito, lançado no início do mês, cuja arrecadação será destinada, em boa parte, para projetos ecológicos.


Euclides Feio (C) lê os termos do contrato, assinado por Ana Carolina e endossado por Sério Rodrigues (E) e Guilherme Marques.


Empresários de Turismo atentos às explicações sobre as linhas de crédito criadas pelo Banco da Amazônia para incentivar o setor.

Segundo o gerente da agência central, Zilmar Carvalho Cunha, o Amazônia Turismo, tanto Pessoal quanto Empresarial, oferece muitas vantagens para quem recorrer a essas linhas de crédito. O de Pessoa Física, por exemplo, financia pacotes turísticos, incluindo passagens, diária de hotel e outras despesas, em viagens, dentro e/ou fora do País, sendo que no caso de passeios no exterior, somente para clientes especiais de nível de risco AA, A e B.

O limite de financiamento é de até 100 por cento do valor do pacote discriminado em nota fiscal. Para volores mínimos de R$ 600,00, o parcelamento será em doze meses; para despesas de até R$ 1.000,00, o prazo pode ser estendido para até dois anos, ou seja, 24 meses, e a partir de R$ 1.500,00, em até três anos, isto é, em 36 parcelas.

O Amazônia Turismo Pessoal pode ser solicitado em quaisquer agências do Banco da Amazônia.

Empresarial – O Amazônia Turismo Empresarial tem como principal objetivo criar fluxo de caixa para as agências de viagens, permitindo a elas a compra à vista dos pacotes que vão revender para os seus clientes finais.

Só poderão ter acesso a essa linha de crédito as agências devidamente cadastradas junto à Embratur, de idoneidade comprovada, amparadas em garantias por caução/fiança e custodiadas, e de preferência se estiverem filiadas à Abav de seu estado.

Essa modalidade de crédito apresenta as seguintes exigências: o banco concede um limite de crédito, firmando, a seguir, um contrato com o cliente. A linha de crédito é operacionalizada como uma Conta Garantida, ou seja, o cliente entrega garantias ao banco, que faz a imediata liberação do dinheiro. As operações são formalizadas através da Cédula de Crédito Bancário, sem necessidade de registro em cartório.

Encargos – O prazo para financiamentos empresariais é de até três anos, podendo ser ainda mais elástico, se autorizado pela diretoria executiva do banco. As garantias são a caução de notas promissórias e cheques custodiados. O pagamento de encargos é acumulado dia a dia e debitados mensalmente em conta corrente, sempre no primeiro dia útil de cada mês.

A criação dessas linhas foi elogida por todos os empresários presentes. Guilherme Marques, da Glacymar Turismo e vice-presidente da Abav-MA, por exemplo, está confiante de que esta facilidade criada pelo Banco da Amazônia atraia mais clientes para as empresas do setor. Ele destacou que o Turismo é uma atividade cada vez mais rentável, portanto vale a pena investir nele.


O gerente Zilmar Carvalho Cunha (D), dando explicações sobre as linhas de crédito, assistido por Joacia Carvalho (E), Antônio Joaquim Oliveira Neto e Rita Alves