Atendendo a uma determinação do Ministério da Educação, o Centro Universitário do Maranhão (Uniceuma) promoveu a aula inaugural da primeira turma de Internato em Medicina. A cerimônia foi realizada na última segunda-feira no auditório Helena Maria Duailibe Ferreira, do Hospital Geral.

De acordo com uma nova resolução do MEC, os acadêmicos de Medicina só podem colar grau após concluir o Internato. A disciplina é uma das últimas etapas do curso de graduação em Medicina, durante o qual o estudante deve receber treinamento intensivo, contínuo, sob supervisão docente, em instituições de saúde.

Reitor do Uniceuma, Aldy Mello de Araújo, durante aula
inaugural do Internato de Medicina
O Internato é desenvolvido, basicamente, por meio de estágios em equipes docente-assistenciais de Medicina Interna e Especialidades Clínicas, no Hospital Geral, Hospital da Criança, nas maternidades Benedito Leite e Marly Sarney e no Ambulatório de Atenção Geral à Saúde, no Pirapora. Cada estágio tem a duração de um mês, sendo vedada à repetição. Durante os estágios nas equipes de Medicina Interna, os alunos trabalharão, sob supervisão, na saúde da criança, saúde do adulto e saúde da mulher. Nos estágios o atendimento ambulatorial tem carga horária variável. Os alunos vão fazer plantões sob supervisão dos Médicos Residentes do Serviço de Medicina Interna dos hospitais credenciados.

Os alunos do 9º período de Medicina do Uniceuma participaram da aula inaugural do Internato em Medicina, que foi ministrada pelo doutor Antônio Gonçalves. Na ocasião, souberam que na primeira parte do internato estudarão as disciplinas: Saúde do Adulto, Saúde da Criança e Saúde da Mulher. “É importante o aluno participar do internato, pois apreenderá como funciona a rotina de um hospital. Esta é uma disciplina obrigatória e que antecede a residência medica”, disse Gonçalves.

O reitor do Uniceuma, Aldy Mello de Araújo, disse aos estudantes que a instituição está sendo pioneira na implantação do Internato em Medicina. “Somos a primeira Instituição de Ensino Superior a implantar o Internato em Medicina e todas as demais do estado e do país terão que fazer o mesmo, mas nós saímos na frente, pois queremos preparar nossos profissionais com o que há de mais moderno em educação superior”, afirmou.

O diretor do Hospital Geral, Dr. Domingos Costa, falou da importância do Internato para os acadêmicos e para a instituição de saúde. “Durante muitos anos este hospital foi o único a abrigar acadêmicos de Medicina no Estado. É muito importante colocar os futuros profissionais ambientados com a realizada profissional que eles encontrarão para que possam atender seus pacientes da melhor forma possível no futuro”, avaliou.