NO SACAVÉM

Policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de São Luís prenderam, na tarde de ontem, o microempresário Elson de Jesus Pereira, 38 anos. Autuado em flagrante por receptação qualificada, o dono da Borracharia e Sucata Uniauto Vitória – localizada na avenida dos Africanos -, guardava em seu estabelecimento mais de 50 pneus de caminhonetes, avaliados em R$ 700 cada; e vários jogos de calhas de liga leve, cujos preços chegam a R$ 2 mil.

Segundo o titular da especializada, o delegado Rodson Almeida – que acompanhou o momento da prisão -, o caso já vinha sendo investigado há mais de um mês, e foi impulsionado pelos freqüentes registros de ocorrências de roubos desse tipo de material, reclamados de diferentes pontos da cidade.

Foto: G. FERREIRA

Borracharia é investigada pela polícia na avenida dos Africanos

"Ele recebia esses pneus de vários furtos realizados em diversas partes da cidade. Na maioria desses casos, geralmente, os ladrões ainda deixavam o automóvel apoiado em tijolos ou pedras, tudo para não deixar o carro totalmente inclinado, e assim não despertar a atenção dos proprietários", explicou o delegado.

Outros itens como aparelhos de CDs automotivos, e pastas de notebooks também foram apreendidos na operação. Porém, o que mais chamou a atenção dos policias foi a presença de uma espingarda calibre 20 (cano duplo), acompanhada de uma agenda, com dezenas de contatos de possíveis clientes, e com vendas já agendadas para esta semana.

De acordo com a polícia, o "borracheiro" repassava o material roubado por menos da metade do preço original. Os pneus eram vendidos por cerca de R$ 300, e jogos de calhas por aproximadamente R$ 900. Toda a mercadoria era negociada sem nota fiscal, e como o giro de compra e venda era muito intenso, passou a ser rotineiramente procurado pelos "ladrões de rodas" da cidade, o que também pode caracterizar o crime de formação de quadrilha.

"Ele (Elson) alegou que só tinha o material porque várias pessoas vinham até a sua loja oferecer a mercadoria. No entanto, nós estamos trabalhando na hipótese de uma espécie de ‘parceria’ com os ladrões da capital. Para esclarecer tudo isso, nós iremos continuar investigando e, se necessário, chamar algumas vítimas para fornecer mais detalhes sobre os locais de maior incidência dos furtos", acrescentou o delegado Rodson Almeida.

Para maior agilidade no trabalho de recolhimento de todo o material apreendido na borracharia de Elson Pereira, um caminhão-baú da Secretaria de Segurança Cidadã (Sesec) foi deslocado até o local. A operação deixou o trânsito da via lento, e vários policiais precisaram se revezar para carregar as calhas e os pneus, empilhados na calçada do estabelecimento.