Foi preso por policiais do 5° DP (Anjo da Guarda) com apoio da Superintendência da Polícia Civil da Capital (SPCC), na tarde da última terça-feira (19), Joan Santos Cantanhede, o Quinho, de 25 anos, morador da Rua Sílvio Romero, no Bairro do Retiro Natal. Contra ele pesa a suspeita de envolvimento em um homicídio, ocorrido no Alto da Vitória – área Itaqui-Bacanga, no dia 23 de setembro deste ano.

A prisão de Quinho aconteceu após o delegado Gustavo Machado, titular da delegacia do Anjo da Guarda, ter em mãos o mandado de prisão preventiva contra o suspeito. Joan, que foi preso em casa, ao ser levado para a delegacia, negou sua participação no crime que culminou na morte de Genilson Pereira Botelho, conhecido como Tampinha, de 23 anos, morador do Alto da Vitória. Ele é muito frio, todo tempo negou o envolvimento no crime, contou o delegado.

Apesar de ter sido preso sozinho, o delegado informou que no dia do ocorrido, um total de três a cinco homens, incluindo Quinho, estariam envolvidos na execução de Tampinha. Gustavo Relatou ainda que, na verdade, o grupo estaria procurando por alguém identificado apenas como Marcos. Entretanto, não encontrando aquele que iria ser a vítima, assassinaram Genilson, por este ser amigo de Marcos. Isso foi um aviso daquilo que eles estavam querendo fazer ao Marcos, contou Machado. O delegado relatou que, quem teria executado Tampinha – com dois tiros, um no rosto e outro nas costas – foi o próprio Quinho.

Conduzido para a delegacia, Joan foi ouvido pelo delegado e encaminhado para o Centro de Triagem, localizado em Pedrinhas. Gustavo Machado contou que outros envolvidos no assassinato de Genilson estão sendo investigados, dentre estes, um jovem conhecido como Diego Blue, que já possui mandado de prisão por assaltos à mão armada.

Outro caso – Outra prisão realizada pelos policiais do 5° Distrito Policial foi a de Ruan Francisco Moreira da Silva, de 23 anos, morador da Travessa Bom Jesus, localizada no Anjo da Guarda. Ruan é suspeito de ter envolvimento no tráfico de drogas.

Conforme o delegado Gustavo Machado, Ruan foi levado à delegacia por que teria recebido das mãos de um homem não identificado, um aparelho celular que teria sido roubado. Depois de investigações feitas pela equipe de captura, os agentes chegaram até Ruan. Além do celular roubado, foi encontrada, com o acusado, uma pequena quantidade de drogas e munições de revólver calibre 38.

Ruan Francisco foi autuado em três crimes, tráfico de entorpecente, porte ilegal de munições e receptação de roubo.

(Por Alan Jorge, especial para o JP)