Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Amigos de Roseana Sarney viajaram por conta do Senado

A líder do governo no Congresso, Roseana Sarney (PMDB-MA), usou a cota de passagens aéreas do Senado para custear o transporte de sete pessoas de São Luís até Brasília no penúltimo fim de semana.

A líder do governo no Congresso, Roseana Sarney (PMDB-MA), usou a cota de passagens aéreas do Senado para custear o transporte de sete pessoas de São Luís até Brasília no penúltimo fim de semana. Do grupo faziam parte amigos, parentes e empresários do Maranhão.

A viagem de ida e volta foi operada pela agência Sphaera Turismo, de Brasília. A empresa de venda de passagens áreas tem contrato de um ano com o Senado, desde julho de 2005, para atender aos senadores e servidores da Casa que precisam de deslocamentos por avião.

Na lista de usuários da cota da líder do governo está a cunhada da senadora, Teresa Murad Sarney, esposa de Fernando Sarney, investigado junto com a mulher pela Polícia Federal, na Operação Boi Barrica. 

Na mesma investigação, a PF descobriu que Fernando Sarney usou uma passagem da cota do deputado Carlos Abicalil (PT-MT) para mandar o amigo e funcionário do Senado Marco Antônio Bogéa de Brasília para São Paulo no dia 19 de julho de 2008. Os policiais tinham interesse no conteúdo da mala levada por Bogéa até um apartamento do filho do presidente do Senado na capital paulista.

No deslocamento pago pelo Senado no penúltimo fim de semana, também estava Rosa Lago, mulher do empresário Eduardo Carvalho Lago. Segundo a PF, em 23 de outubro de 2006, pouco antes de Roseana Sarney ser derrotada por Jackson Lago na disputa pelo governo do Maranhão, Eduardo Lago transferiu R$ 2 milhões para a conta corrente da Gráfica Escolar.
 
A quantia voltou para a conta de Eduardo Lago. De lá, o dinheiro foi transferido para a conta de Fernando e Teresa Sarney – ex-sócio e sócia da Gráfica Escolar. Dos R$ 2 milhões, Fernando sacou R$ 1,2 milhão no dia 25 e os demais R$ 800 mil no dia 26 de outubro. Essas informações também fazem parte da investigação dos policiais federais sobre as atividades de Fernando Sarney.
 
O grupo que viajou na cota de passagens de Roseana Sarney é o seguinte:
 
– Heitor Heluy, assessor do TRT 16ª Região – São Luís;

– Sebastião Murad, ex-deputado estadual, dono de uma rede de postos de combustível em São Luís;

– Eduardo Haickel, dono do posto de combustível Tiger, em São Luís;

– Henry Duailibe, dono da concessionária Duvel, da Ford, em São Luís;

– Rosa Lago, mulher do empresário Eduardo Lago, que tem negócios com Fernando Sarney;

– Teresa Sarney , mulher de Fernando Sarney, e

– Adalberto Furtado, conhecido como "Bil", dono da Construtora Estela, de São Luís.
 
O caso de Roseana contraria a posição oficial do Senado sobre o uso de passagens aéreas. Segundo a assessoria de imprensa do Senado, cada senador tem uma cota mensal de quatro passagens de ida e volta para seus Estados. "Bilhetes para outras viagens a serviço – nacionais e internacionais – são emitidos mediante autorização da Mesa Diretora, em plenário", diz a nota enviada ao site.

"A cota é exclusiva dos senadores. Assessores podem viajar, desde que a serviço (não é cota) e o procedimento para emissão do bilhete é o mesmo acima (mediante autorização da Mesa Diretora)", completa o texto do comunicado.
 
O Senado gastou, em 2008, R$ 19.977.949,05 milhões, sendo R$ 16.999.275,12 para passagens aéreas em território nacional, mais R$ 2.978.673,93 em deslocamentos de senadores e funcionários no exterior. Os dados são do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi). O contrato do Senado com a agência Sphaera Turismo, por 12 meses, é de R$ 22, 2 milhões. 
 
A assessoria de imprensa de Roseana argumentou, no início da noite de sexta-feira (13), que não sabia se a agência era a mesma que atendia a senadora e que a lista apresentada pelo site não era verdadeira, pois continha apenas pessoas próximas de Roseana.

Reportagem do Jornal Pequeno de domingo informa que Roseana – que pode assumir o governo do Maranhão caso Jackson Lago (PDT) tenha sua cassação confirmada pelo TSE – usou a residência oficial da Presidência do Senado para uma maratona de carteado, da qual participaram seus amigos vindos de São Luís. (Eduardo Militão e Lúcio Lambranho, Do Congresso em Foco com Redação do JP)

Carregando