Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Deputado pede CPI para apurar denúncias contra concessionária

O deputado Alberto Franco (PSDB), em pronunciamento realizado nesta terça-feira (17), propôs a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possíveis ilegalidades cometidas pela empresa Euromar e seu presidente, Alessandro Martins, no que se diz respeito a sonegação de impostos.

O deputado Alberto Franco (PSDB), em pronunciamento realizado nesta terça-feira (17), propôs a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possíveis ilegalidades cometidas pela empresa Euromar e seu presidente, Alessandro Martins, no que se diz respeito a sonegação de impostos.

Para ele, a constituição de uma CPI se faz necessário pelas graves denúncias que chegaram até suas mãos. “É um assunto extremamente importante, esse escândalo que envolve a Euromar e que a maioria das pessoas não tem ideia de suas proporções. Tenho informações de que ele [Alessandro Martins] era apenas um simples vendedor de carros quando chegou aqui e agora é um dos homens mais ricos do Estado, por ter se beneficiado de atos ilícitos. A riqueza que ele ostenta deixa dúvidas quanto a origem e a legalidade. Por isso é importante esta Casa investigar”, afirmou.

Em sua fala, Alberto Franco citou uma entrevista concedida pelo superintendente da Polícia Federal no Maranhão, Fernando Segóvia, explicando como aconteceria o suposto esquema. “Vi a entrevista do superintendente numa coletiva dizendo que ele usava empresas de locação para adquirir o carro 30% mais barato e vender no mercado atropelando a concorrência numa atividade desleal”.

Ainda segundo o parlamentar, o empresário já teria deixado de pagar mais R$ 10 milhões em impostos ao fisco maranhense e cobrou um posicionamento do governo. “Infelizmente a Secretaria de Fazenda não toma providências contra esse senhor que tem a proteção da autoridade no Estado, por isso que ele fala grosso, por isso que ele agride autoridades”, reclamou.

Franco denunciou existir dentro da própria empresa um setor específico para falsificar documentos: “É muito mais grave do que nós podemos imaginar. Eu recebi denúncias de que há, dentro da Euromar, um departamento de estelionato exclusivo para forjar, fabricar contracheques de pessoas incautas que têm o CPF limpo e que precisam ter um carro, mas não tem renda, não tem emprego. Mesmo assim, eles saem de lá com um contracheque fabricado para ter o carro adquirido no Banco da Volkswagen. Isso é grave”.

O parlamentar argumentou que o empresário estaria tentando enganar a opinião pública ao bancar informes publicitários atacando o atual gestor do Detran, o ex-deputado Clodomir Paz.

As denúncias levadas ao plenário por Franco foram corroboradas pelos deputados Graça Paz (PDT), Edivaldo Holanda (PTC) e Joaquim Haickel (PMDB). (Agência Assembleia)

Carregando