Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Roseana diz ao jornal O Globo que denúncia do JP é ‘loucura’

Reportagem publicada na edição de ontem do jornal ‘O Globo’ aborda o pagamento de passagens aéreas para amigos e assessores de Roseana Sarney (PMDB), mostrando que tanto a senadora quanto seus assessores entraram em contradição.

Diante de flagrante contradição no uso das passagens

Reportagem publicada na edição de ontem do jornal “O Globo” aborda o pagamento de passagens aéreas para amigos e assessores de Roseana Sarney (PMDB), mostrando que tanto a senadora quanto seus assessores entraram em contradição. Primeiro, ela disse que pagara a passagem de dois assessores, enquanto sua assessoria informava que seriam seis, e que quatro deles ficaram hospedados na residência oficial do Senado, de sexta-feira a domingo, na ausência de Sarney, que continua morando em sua casa do Lago Sul.

“No final do dia – segunda-feira (16) -, a versão foi de que não se sabia quantas pessoas teriam viajado e que os nomes não seriam divulgados. Roseana disse que a denúncia original, do Jornal Pequeno, de oposição aos Sarney no Maranhão, era “loucura” e negou que o grupo tenha sido levado para jogar cartas: “Lá no Maranhão, de vez em quando eu jogo baralho com um grupo de amigos. Como não estou podendo me deslocar para lá, estão dizendo que eu trouxe a mesa de jogo para Brasília. Isso é uma loucura! O site publicou a lista das pessoas com quem eu jogo, mas a lista (de quem teria usado passagens) está errada”.

Segundo a lista fornecida pela agência Sphaera Turismo, de Brasília, ao site Congresso em Foco, teriam tido passagens pagas com a cota de Roseana – ida e volta – Heitor Heluy, assessor do TRT 16ª Região; Sebastião Murad, ex-deputado estadual, dono de uma rede de postos de combustível em São Luís; Eduardo Haickel, dono do posto de combustível Tiger, em São Luís; Henry Duailibe, dono da concessionária Duvel, da Ford; Rosa Lago, mulher do empresário Eduardo Lago, que tem negócios com Fernando Sarney; Teresa Sarney , mulher de Fernando Sarney, e Adalberto Furtado, conhecido como “Bil”, dono da Construtora Estela (Skala), de São Luís. Roseana nega essa lista.

Sobre a hospedagem de parte do grupo na residência oficial do Senado, a assessoria do gabinete de Sarney explicou que não há restrição a isso e que o presidente pode receber e hospedar amigos e pessoas da relação dele e de sua família. “Só uns dois dormiram lá, os parentes! É a residência de meu pai”, disse Roseana. (O Globo)
 

Carregando