Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Saúde realiza capacitação contra beribéri em Imperatriz

As novidades sobre a clínica e o tratamento do beribéri foram o tema central da aula de abertura da Capacitação para o Enfrentamento da doença causada pela deficiência da vitamina B1, que teve início nesta terça-feira (07), em Imperatriz.

As novidades sobre a clínica e o tratamento do beribéri foram o tema central da aula de abertura da Capacitação para o Enfrentamento da doença causada pela deficiência da vitamina B1, que teve início nesta terça-feira (07), em Imperatriz. O curso, coordenado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), se estende até esta quarta-feira (08), sempre das 8h às 17h, na Faculdade Fest.
               
Participam da Capacitação coordenadores da Vigilância Epidemiológica, da Vigilância Sanitária e da Atenção Básica dos municípios e das unidades regionais de Imperatriz, Açailândia, Santa Inês, Barra do Corda, Bacabal, Zé Doca e Balsas, bem como os consultores, profissionais de saúde da Estratégia Saúde da Família e técnicos da SES.
 
Seguindo a dinâmica proposta pela organização, a primeira aula foi realizada no auditório da Fest, com a participação de todos os inscritos. No período da tarde, o grupo foi dividido em quatro diferentes salas, metodologia que continuará sendo utilizada no último dia do evento.
 
Para a platéia, também composta por muitos acadêmicos de enfermagem, a médica infectologista Maria dos Remédios Branco, consultora da SES, fez um relato minucioso sobre o beribéri, apontado seus conceitos e causas. Segundo ela, a vitamina B1 ou tiamina não é sintetizada pelo corpo humano e que por isso é preciso ser reposta por meio da ingestão de alimentos adequados.
 
“Nós temos uma reserva de vitamina B1 que dura de dois a três meses, por isso é necessário comer alimentos como cereais, carne, vegetais folhosos, feijão, nozes e sementes, ricos em tiamina. O problema é que estamos falando de uma região que pelos hábitos e pobreza, muitas vezes não pode fazer uso desses alimentos”, destacou ela, acrescentando ainda que existem situações que concorrem para prejudicar a absorção da vitamina pelo organismo.
 
Nesta lista de situações, está a ingestão do álcool. Além disso, conforme Maria dos Remédios, há pessoas que precisam mais de tiamina do que outras, como é o caso das que realizam atividades física pesada, as grávidas/lactantes, acometidos por doenças do fígado, gastrointestinal e que estejam sendo submetidos a diálise. (Da Secom / Governo do Estado)

Carregando