Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Exército usa gás lacrimogêneo contra manifestantes em Bancoc; 74 foram feridos

Os soldados do Exército tailandês atiraram para o ar e usaram gás lacrimogêneo e sprays de pimenta para tentar conter os milhares de manifestantes que bloqueiam as ruas da capital Bancoc nesta segunda-feira, em uma escalada dos protestos pela renúncia do premiê Abhisit Vejjajiva.

Os soldados do Exército tailandês atiraram para o ar e usaram gás lacrimogêneo e sprays de pimenta para tentar conter os milhares de manifestantes que bloqueiam as ruas da capital Bancoc nesta segunda-feira, em uma escalada dos protestos pela renúncia do premiê Abhisit Vejjajiva. Confrontos entre as tropas e os manifestantes deixaram 74 feridos.

O chefe das Forças Armadas do país, Songkitti Jaggabatara, afirmou que as tropas querem trazer "paz e ordem" à cidade e evitar novos confrontos como os desta segunda-feira. Para isso, o Exército utilizará "todos os meios possíveis".

"Os soldados usarão todos os meios para restabelecer a ordem rapidamente", declarou o general Songkitti em um discurso exibido pela televisão. "Não usaremos a força para reprimir nosso povo, pois somos plenamente conscientes de que são tailandeses. Mas nos reservamos o direito de fazer uso das armas em legítima defensa", completou o comandante militar.

Depois de 12 horas de enfrentamentos violentos, apenas pequenos grupos de manifestantes se retiravam dos arredores do escritório do premiê, onde estão milhares de camisas vermelhas –que querem derrubar o governo de Abhisit e abrir caminho para o retorno ao país do ex-premiê Thaksin Shinawatra, deposto em um golpe de Estado em 2006 sob acusações de corrupção e abuso de poder e que está no exílio.

Segundo a agência de notícias France Presse, os manifestantes atiravam coquetéis molotov e pedras contra os soldados. Eles roubaram dezenas de ônibus públicos para fazer bloqueios em intersecções importantes da capital, queimaram pneus e veículos e jogaram dois veículos –um deles em chamas- contra linhas de soldados. (Da Folha Online)

Carregando