Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Dilma responde ao FMI e afirma que Brasil crescerá até 2% este ano

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, respondeu hoje a um relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) que calcula que a economia brasileira sofrerá contração de 1,3% este ano, e afirmou que o Governo mantém a previsão de crescimento de entre 1,5% e 2%.

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, respondeu hoje a um relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) que calcula que a economia brasileira sofrerá contração de 1,3% este ano, e afirmou que o Governo mantém a previsão de crescimento de entre 1,5% e 2%.

"O Fundo Monetário Internacional não tem o mesmo nível de informação que tinha antes", quando o país tomava empréstimos da entidade e "era obrigado a informar sobre o que fazia, até a última vírgula", afirmou Dilma.

"É óbvio que a visão deles é diferente, porque não têm informação sobre as políticas que estamos desenvolvendo", ressaltou a ministra, para quem "não há razão para ter um respeito religioso pelo que diga uma instituição" multinacional.

"Hoje, o FMI já não pode dar palpites" sobre o país, afirmou em declarações citadas pela "Agência Brasil".

A ministra ressaltou que "o Governo não poupou esforços para combater a crise e, por isso mesmo, vê a estimativa do FMI como o que é, uma simples estimativa".

A previsão do Fundo sobre a economia brasileira está contida no relatório "Previsões Econômicas Mundiais", que foi apresentado na quarta-feira em Washington.

O estudo afirma que o Brasil foi um dos países sul-americanos mais afetados pela queda dos preços das matérias-primas e, embora elogie as medidas adotadas até agora pelo Governo, prevê que a economia brasileira sofra uma contração de 1,3% em 2009 e que crescerá 2,2% no próximo ano. (Da Efe)

Carregando