Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Quadrilhas e danças portuguesas animam arraial da Maria Aragão

Com tema ‘A Capital Brasileira da Cultura festeja a diversidade’, a Prefeitura de São Luís comemora o título, outorgado em março, mostrando um arraial cheio de novidades.

Com tema “A Capital Brasileira da Cultura festeja a diversidade”, a Prefeitura de São Luís comemora o título, outorgado em março, mostrando um arraial cheio de novidades.  Com o objetivo de resgatar os costumes dos nossos descobridores e mostrar a diversidade de nossa cultura popular, a Fundação Municipal de Cultura (Func) realiza, no Arraial da Maria Aragão, os festivais de quadrilhas e danças portuguesas.

Ao todo, 31 grupos folclóricos se apresentam nesta quarta (03) e quinta-feira (04), mostrando toda magia e encanto de suas danças. O propósito do encontro não é concurso, e sim a oportunidade de confraternizar.

De acordo com o presidente da Func, Euclides Moreira Neto, o público, que estiver no arraial, vai poder assistir e comprovar a força de mobilização e organização das nossas quadrilhas juninas e danças portuguesas. “Não custa lembrar que na quinta-feira gorda de carnaval, a Func inovou ao promover o desfile de danças portuguesas, embaladas pelas baterias das escolas de samba Flor e Marambaia”, recordou.

A programação geral do Arraial está bem diversificada e comportará outros eventos, como festivais de dança do boiadeiro e de Cacuriá, um dia somente para programação Gospel, 2º aniversário do título de Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro concedido ao Tambor de Crioula e o encontro de Bumba-meu-boi sotaque de orquestra “Clarins da Ilha”.

Um pouco de história

A origem da quadrilha vem do século 19, com forte influência das danças de salão apreciadas pela realeza. Os seus primeiros passos aconteceram nas localidades rurais francesas. No Brasil, ela passou a fazer parte dos salões nobres da alta sociedade. Em pouco tempo, transformou-se em uma grande festa popular, tendo como objetivo alegrar casamentos, batizados, festejos religiosos, sempre no período junino.

A dança portuguesa pode ser de roda, de pares em roda, em cruz, em fila de roda, de frente e em fila de frente, obedecendo a uma marcação comanda por um líder. Os trajes são variados, não havendo um especificamente nacional, mudando de região para região, devido às influências originárias dos vários povos fixados na faixa da Península. (Da Secom / Prefeitura de São Luís)

Carregando