Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

OMS declara que pandemia de gripe suína é ‘moderada’

A OMS (Organização Mundial da Saúde) elevou nesta quinta-feira para nível máximo o grau de alerta por causa da gripe suína, como é conhecida a gripe A (H1N1), mas afirmou que se trata de “uma pandemia moderada”.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) elevou nesta quinta-feira para nível máximo o grau de alerta por causa da gripe suína, como é conhecida a gripe A (H1N1), mas afirmou que se trata de "uma pandemia moderada". A decisão de declarar a pandemia (epidemia generalizada) –a primeira em 41 anos– foi tomada devido à abrangência mundial da doença, que já atinge 74 países, e não à periculosidade do vírus.

A última declaração de pandemia ocorreu em 1968, quando um surto de gripe causou a morte de mais de 1 milhão de pessoas em todo o mundo. Em todo o século 20, foram registradas três pandemias.

A transmissão intercomunitária do vírus, assim como a extensão geográfica dos novos casos, são os principais critérios analisados pela OMS para determinar a passagem da fase cinco para a fase seis, o nível máximo na escala de alerta de pandemias.

"Pandemia significa extensão [do vírus]. Mas um maior nível de alerta pandêmico não significa necessariamente que vamos ver um vírus mais perigoso ou que muita gente vá ficar gravemente doente", disse, em entrevista coletiva, a diretora-geral da OMS, Margaret Chan.

O anúncio desta quinta-feira, aguardado nos últimos dias, é a confirmação científica de que um novo vírus da gripe surgiu e rapidamente se espalhou pelo globo, e não que o vírus se tornou mais perigoso.

A OMS irá pedir aos laboratórios para acelerar a produção de uma vacina contra a gripe suína. A declaração também irá fazer com que governos invistam mais dinheiro em medidas para conter o vírus.

A diretora da OMS descreveu o vírus como "moderado". Ela salientou que a maioria dos casos é leve e não precisa de tratamento. Entretanto, existe o temor de que uma série de novas infecções possa lotar os hospitais, especialmente nos países mais pobres.

Cerca de metade das pessoas que morreram após contrair o vírus da gripe suína era de jovens saudáveis –público que normalmente não é suscetível à gripe comum, que atinge entre 250 mil e 500 mil pessoas por ano.

A decisão de aumentar o nível de alerta poderia ter sido tomada antes se a OMS tivesse informações mais acuradas em relação à Europa. Chan disse que ela convocou uma reunião de emergência para esta quinta-feira com especialistas em gripe depois que foram levantadas dúvidas sobre se alguns países, como o Reino Unido, estavam ou não reportando os casos registrados de forma cuidadosa.

Após o encontro, a diretora da OMS disse que os especialistas concordaram que o vírus se espalhou mais do que estava sendo informado.

Na última quarta-feira, a organização relatou que 74 países informaram sobre 27.737 casos da doença, incluindo 141 mortes.

Sintomas

A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes aos da gripe comum, com febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal.

Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e examinadas em laboratório. Os antigripais Tamiflu e Relenza, já utilizados contra a gripe aviária, são eficazes contra o vírus H1N1, segundo testes laboratoriais, e parecem ter dado resultado prático, de acordo com o CDC (Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos). (Da Folha Online)

Carregando