Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Canadá confirma quinta morte por gripe suína no país

O Departamento da Saúde Pública de Quebec confirmou neste sábado a quinta morte por gripe suína no país.

O Departamento da Saúde Pública de Quebec confirmou neste sábado a quinta morte por gripe suína no país. A vítima foi um homem de Montreal que morreu após contrair a doença causa pelo novo tipo do vírus influenza A H1N1, cuja grande distribuição pelo mundo levou a OMS (Organização Mundial de Saúde) a decretar a primeira pandemia do século 21.

Segundo as autoridades de saúde canadenses, o homem que morreu tinha mais de 40 anos e sofria de problemas de saúde anteriores. Não foram divulgados detalhes sobre as outras doenças.

A Agência de Saúde Pública do Canadá informa que pouco mais de 5% das 3.515 pessoas diagnosticadas com gripe suína no país foram hospitalizadas, e estima que um quarto destas sofriam de problemas de saúde anteriores.

OMS

De acordo com a OMS, o nível pandêmico está relacionado à ampla distribuição geográfica da doença, e não à sua gravidade, já que o vírus é considerado "moderado".

Segundo o balanço mais recente da organização, divulgado na manhã desta sexta-feira, quatro pessoas haviam morrido no Canadá, e 2.978 haviam sido infectadas. A organização informou que houve 29.669 casos confirmados da nova gripe em 74 países, com 145 mortes.

Os Estados Unidos continuam sendo o país com o maior número de casos –13.217, com 27 mortes. Em seguida vem o México, considerado o epicentro da doença, com 6.241 casos confirmados e o maior número de mortes, 108. No Chile, dos 1.694 casos confirmados, dois resultaram em morte.

Costa Rica, República Dominicana, Guatemala e Colômbia relataram, cada um, uma morte causada pela gripe suína.

O Brasil possui 58 casos confirmados, segundo dados do Ministério da Saúde, mas nenhuma morte foi registrada.

Os demais países com casos de gripe suína são Austrália (1.307), Reino Unido (822), Japão (549), Espanha (488), Argentina (343), Panamá (221), China (188), Costa Rica (104), Alemanha (95), República Dominicana (91), Honduras (89), Peru (79), Filipinas (77), Guatemala (74), França (73), El Salvador (69), Israel (68), Equador (67), Itália (56), Nicarágua (56), Coreia do Sul (53), Uruguai (36), Colômbia (35), Holanda (35), Nova Zelândia (27), Paraguai (25), Venezuela (25), Vietnã (23), Suíça (20), Suécia (19), Kuait (18), Cingapura (18), Bélgica (14), Noruega (13), Irlanda (12), Dinamarca (11), Jamaica (11), Romênia (11), Egito (10), Turquia (10), Índia (9), Líbano (8), Tailândia (8), Áustria (7), Grécia (7), Polônia (7), Cuba (6), Bolívia (5), Malásia (5), República Tcheca (4), Estônia (4), Finlândia (4), Hungria (4), Islândia (4), Trinidad e Tobago (4), Barbados (3), Rússia (3), Eslováquia (3), Bulgária (2), Ilhas Cayman (2), Portugal (2), Bahamas (1), Bahrein (1), Chipre (1), Dominica (1), Luxemburgo (1), Arábia Saudita (1), Ucrânia (1), Emirados Árabes (1).

Sintomas

A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes aos da gripe comum, com febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal.

Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e examinadas em laboratório. Os antigripais Tamiflu e Relenza, já utilizados contra a gripe aviária, são eficazes contra o vírus H1N1, segundo testes laboratoriais, e parecem ter dado resultado prático, de acordo com o CDC (Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos). (Da Folha Online, com Associated Press)

Carregando