Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Chegam a 108 os mortos por tsunami na Indonésia; 502 estão desaparecidos

Chegam a pelo menos 108 os mortos devido a um tsunami que atingiu a Indonésia nesta terça-feira causado por um terremoto de magnitude 7,7 ocorrido ontem.

Da Reuters

Chegam a pelo menos 108 os mortos devido a um tsunami que atingiu a Indonésia nesta terça-feira causado por um terremoto de magnitude 7,7 ocorrido ontem. Ao menos 502 outras pessoas estão desaparecidas.

O novo balanço foi dado pelo político local Hendri Dori Satoko, em entrevista para a emissora local de TV Metro. O tremor de ontem ocorreu a cerca de 78 km da costa de Pagai do sul, nas ilhas Mentawai.

Ontem, após o tremor, o governo da Indonésia chegou a emitir um alerta de tsunami, mas depois o suspendeu, acreditando não haver risco de chegada de ondas ao seu litoral.

As ondas destruíram a maioria das edificações no vilarejo costeiro de Betu Monga, disse Hardimansyah (que só tem um nome), um alto funcionário da regional do Departamento de Pesca.

"Dos 200 moradores do vilarejo, somente 40 foram encontrados. Ainda há 160 desaparecidos, na maioria mulheres e crianças", disse ele à agência de notícias Reuters, por telefone.

Relatos de surfistas via Facebook indicam que o Macaronis resort, na ilha de Pagai do Norte, foi "totalmente devastado", diz a Reuters.

No site, usuários afirmaram ter visto um tsunami com ondas de até 3 metros de altura que "tirou do mapa" o local.

Um barco de turismo com entre oito e dez australianos está incomunicável, segundo o governo australiano.

Policiais locais afirmaram à Reuters que as cidades se preparam para construir abrigos e armazenar mantimentos, já que as chuvas e fortes ventos ameaçam a região.

Na ilha de Pagai do Sul, as ondas chegaram até 600 metros dentro das vilas, enquanto em Pagai do Norte o tsunami gerou ondas que passaram do teto das casas, disse Satoko.

Em dezembro de 2004 um tsunami causado por um tremor de magnitude 8 atingiu a ilha de Sumatra, matando mais de 220 mil pessoas.

VULCÃO

Também nesta terça-feira, o vulcão Monte Merapi, na ilha indonésia de Java, entrou em erupção, após aumento recente da atividade no seu interior e série de alertas de autoridades locais. Ainda não há registro de mortes.

Um repórter da agência de notícias Associated Press, porém, afirmou ter visto 20 pessoas feridas sendo levadas para tratamento. Desde ontem (25), o governo indonésio havia elevado para nível máximo o alerta de risco de erupção no Monte Merapi.

Cerca de 19 mil pessoas foram retiradas das imediações do vulcão, sobretudo velhos e crianças. Muitos adultos, entretanto, ficaram para cuidar de suas casas e propriedades.

Segundo o vulcanologista do governo indonésio, Surono, as cinzas expelidas pela erupção chegam a 1,5 km de altura. O monte possui 2.914 metros altitude. "As pessoas que vivem nessa região devem sair o quanto antes", afirmou. A cidade de Yogyakarta, a maior da região, fica a cerca de 26 km do vulcão.

O aumento nos últimos dias da pressão no interior do vulcão, considerado o mais volátil da Indonésia, fez autoridades alertarem para a possibilidade de ocorrer uma das mais fortes erupções dos últimos anos –o que ainda não foi confirmado.

"Esperamos que entre em erupção lentamente", disse Surono. "Do contrário, estamos diante de uma grande erupção, maior do que temos visto em anos." Nesta terça-feira pela manhã, segundo relatos, várias rochas já haviam se desprendido do topo do vulcão, e a fumaça expelida chegava a cerca de 50 metros de altura.

O número de afetados pode chegar, no entanto, a 40 mil pessoas. As autoridades prepararam abrigos a cerca de 10 km do vulcão.

Segundo autoridades, o vulcão havia liberado nos últimos dias duas vezes mais energia do que em erupções recentes. Entre sexta-feira e sábado, os tremores vulcânicos no Merapi aumentaram de 321 a 525, enquanto o número de erupções de lava passou de 93 a 183.

O vulcão entrou em erupção pela última vez em 2006. À época, provocou uma nuvem de cinza incandescente e gás que causou duas mortes.

O chefe de Centro de Vulcanologia alertou que as observações indicam que a erupção do Merapi pode ser semelhante à que ocorreu em 1930, quando 13 aldeias foram destruídas e 1.400 pessoas morreram. Em 1994, 70 pessoas morreram em uma erupção do Monte Merapi.

HISTÓRICO

Os desastres naturais que atingem a Indonésia nesta terça-feira chegam seis anos após o devastador tsunami de 2004 –considerado uma das maiores catástrofes dos tempos modernos– que deixou mais de 220 mil mortos nos países banhados pelo Oceano Índico.

Provocada por um forte tremor na Indonésia, a tragédia ocorreu no dia 26 de dezembro de 2004 e atingiu as costas de 12 países.

Mais da metade dos 220 mil mortos provocados pela tsunami estava na Indonésia. A outra metade se dividiu por uma dúzia de países, entre eles Sri Lanka, Índia e Tailândia.

Milhares de indonésios precisaram ser rapidamente enterrados em vala comum, sem sequer serem identificados.

A comunidade internacional contribuiu com mais de sete bilhões de dólares para a reconstrução de Aceh, uma das Províncias indonésias totalmente destruídas.

O Sri Lanka registrou 31 mil mortes e na Índia mais de 16 mil pessoas morreram.

Na Tailândia o número de mortos chegou a 5.400 e em todos os países atingidos milhares perderam suas casas.
(Folha Online)

Carregando