Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Prefeitura de São Luís firmará aliança pela revitalização do Centro Histórico

A Prefeitura de São Luís iniciará mais uma ação de valorização das riquezas turísticas da capital com o lançamento da Aliança pelo Centro Histórico, que acontecerá durante o workshop ‘Centro Histórico de São Luís: Desafios e oportunidades’.

A Prefeitura de São Luís iniciará mais uma ação de valorização das riquezas turísticas da capital com o lançamento da Aliança pelo Centro Histórico, que acontecerá durante o workshop “Centro Histórico de São Luís: Desafios e oportunidades”. O evento, promovido pela Prefeitura de São Luís, em parceria com o Banco Mundial (Bird), acontecerá nas próximas quinta (27) e sexta-feira (28), a partir das 9h, no Quality Grand São Luís.

Durante o workshop, será firmado o termo de parceria da aliança pelo Centro Histórico, entre representantes da Prefeitura de São Luís e do Bird. O objetivo principal será a implantação de sistema de gestão compartilhada (poderes público, privado e sociedade civil) para monitorar e realizar serviços urbanísticos, culturais, funcionais e sociais no local.

Empresários, órgãos de preservação, representantes de empresas do ramo turístico, profissionais liberais e potenciais investidores da revitalização econômica do Centro Histórico de São Luís participarão do evento. Idealizado pelas secretarias municipais de Projetos Especiais (Sempe), de Turismo (Setur) e de Planejamento (Seplan) e pela Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph), o workshop tem como objetivo principal contribuir para a proposição e fortalecimento de ideias concretas e ações práticas para a revitalização econômica do Centro Histórico da capital do Maranhão.

Na pauta do encontro, casos de sucesso e desafios de cidades que também se mobilizaram e se destacam em trabalhos envolvendo os seus respectivos centros históricos, como Porto Alegre (RS), Recife e Olinda (PE), além da apresentação de representantes de Portugal e da Itália, que falarão de experiências com planejamento, gestão e infraestrutura de Centros Históricos dos dois países.

“Queremos que esse evento incentive a iniciativa privada para que, juntos, possamos revitalizar o nosso Centro Histórico. É importante também promover a troca de experiências com outras cidades, que se destacam não só pela revitalização cultural e arquitetônica de seus centros históricos, mas também pela economia. Esta iniciativa visa ao bem-estar de toda a população e de nossos turistas”, disse o prefeito de São Luís, João Castelo.

Programação
Separado por módulos e mesas-redondas, o workshop contará com a participação de nomes nacionais como Kátia Bogéa (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional/Iphan), Ricardo Piquet (Fundação Roberto Marinho/Recife), Marcelo Ferraz (Escritório Brasil Arquitetura), Ana Lúcia Marcondes (Via Cultural/SESC), entre outros.

Para falar sobre as experiências internacionais, ocuparão a mesa de palestras os profissionais André Barbosa (Sociedade Portuguesa de Inovação/SPI), José Hugo Machado (Grupo Luzeiros), José Catarino Tavares (Diretoria Municipal de Conservação e Reabilitação Urbana de Lisboa), José Aguiar e José Pinto Duarte (Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa). Eles vão contar as experiências nos centros históricos de Portugal. Já Luigi Agostino, da KEYA Italian Firm, falará sobre desenvolvimento de parcerias público-privadas em projetos em áreas históricas na Itália.

“O workshop vai propiciar o intercâmbio de ideias e informações entre todos os agentes interessados em melhorar a implantação dos serviços públicos, provocar um efeito multiplicador dos investimentos econômicos e aumentar a capacidade de gestão da iniciativa privada para alcançar objetivos públicos”, afirmou o secretário municipal de Projetos Especiais, Francisco Barros.

Etapas do projeto
Nesta primeira fase do projeto de revitalização, serão trabalhadas 24 ruas onde há um fluxo maior de turistas, mas a tendência é que, com a chegada de mais parceiros, o número siga aumentando até a cobertura de todo o perímetro. O Centro Histórico tem 107 mil metros quadrados de área urbana tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional, envolvendo cerca de 1.200 edificações e constituindo o mais extenso e valioso conjunto de arquitetura colonial portuguesa do século 19.

Dentro do projeto, serão desenvolvidas atividades de estruturação da Comissão da Aliança pelo Centro Histórico, que será a responsável pela gestão do projeto; intervenções na limpeza urbana com uma equipe capacitada e específica para atuar no local; requalificação dos espaços e serviços públicos; eventos culturais no local e mobilização social, que receberá uma atenção especial.

“Buscamos vários parceiros e eles virão e batalharão junto conosco. O trade turístico deverá atuar bastante como sempre faz, mas a participação da sociedade é essencial. Os moradores podem e devem participar. A comunidade, os comerciantes, os transeuntes têm que saber que esse é um tesouro nosso e que devemos, todos, sem exceção, zelar por isso”, destacou o secretário Municipal de Turismo, Liviomar Macatrão.

Segundo o presidente da Fundação Municipal de Patrimônio Histórico, Aquiles Andrade, a Prefeitura irá mostrar aos parceiros vantagens como localização, infraestrutura, identidade cultural, requalificação do solo para proporcionar novos postos de trabalho e gerar arrecadação tributária ao município.

Área de atuação (Etapa inicial)

1. Rua da Estrela;
2. Av. D. Pedro II;
3. Rua de Nazaré;
4. Largo e escadaria do Carmo;
5. Praça e escadaria Nauro Machado;
6. Praça da Criança;
7. Rua do Giz;
8. Praça Benedito Leite (palácio do comércio)
9. Rua da Palma;
10. Rua Humberto de Campos;
11. Praça João Lisboa;
12. Rua Portugal;
13. Rua da Alfândega.
14. Rua Godofredo Viana
15. Rua da Paz
16. Rua do Sol
17. Rua João Vital de Matos
18. Beco Catarina Mina
19. Rua João Gualberto
20. Travessa Boa Ventura (Fluvial)
21. Rua 14 de Julho
22. Rua Afonso Pena
23. Rua do Egito
24. Beco da Sé

Carregando