Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Kiefer Sutherland volta às cenas de ação na TV

Kiefer Sutherland retorna às cenas de ação na TV, derrubando portas com pontapés, dando sopapos em criminosos e salvando vidas. Não, Jack Bauer não está de volta. É apenas seu novo personagem Martin Bohm, um ex-jornalista carregador de malas de aeroporto, protagonista de “Touch”. O seriado sobrenatural, que volta mais movimentado nesta segunda temporada, estreou […]

Kiefer Sutherland retorna às cenas de ação na TV, derrubando portas com pontapés, dando sopapos em criminosos e salvando vidas. Não, Jack Bauer não está de volta. É apenas seu novo personagem Martin Bohm, um ex-jornalista carregador de malas de aeroporto, protagonista de “Touch”.

O seriado sobrenatural, que volta mais movimentado nesta segunda temporada, estreou ontem no canal a cabo Fox, com reprise amanhã.

“De maneiras esquisitas, muito do vigor físico de Jack Bauer está começando a aparecer em Martin Bohm”, diz Sutherland, 46, que por nove anos viveu o agente violento da série premiada “24 Horas”, responsável por capturar terroristas e proteger os EUA de atentados em seu território.

Desta vez, ele precisa cuidar de algo aparentemente mais simples: seu filho de 11 anos, que é mudo e tem poderes premonitórios. Se na primeira temporada o desafio era aprender a se comunicar com o filho, agora Martin precisa fugir dos vilões que querem sequestrá-lo.

Kiefer Sutherland com David Mazouz, que interpreta seu filho na série 'Touch', exibida na TV brasileira pelo canal Fox

Kiefer Sutherland com David Mazouz, que interpreta seu filho na série ‘Touch’, exibida na TV brasileira pelo canal Fox

A nova série não arrancou muitos elogios nem decolou na audiência, mas, pelo menos, fez Sutherland voltar a suar a camisa.

“Outro dia tive que correr atrás de alguém numa cena, o que não fazia há muito tempo”, contou, rindo. “E alguém da produção, que trabalhou em ’24 Horas’, deu uma piscadinha e disse: ‘Familiar, não? Não achava que você ainda aguentava o tranco’.”

Para os fãs de “24 Horas”, o ator se diz um dos maiores entusiastas da versão cinematográfica da série, embora o projeto esteja parado.

O diretor Antoine Fuqua, ligado ao filme desde o fim da série, em 2010, disse no mês passado que, com ele na direção, o filme não aconteceria mais. Segundo Fuqua, por falta de acordo financeiro entre o ator e a Fox.

“Tentei de tudo para o filme ’24 Horas’ acontecer. Está fora das minhas mãos, não sei mais o que fazer”, disse Sutherland.”

Maturidade

“Touch” também fez o ator nascido em Londres e criado no Canadá lembrar seus primeiros anos nos EUA, quando largou o colégio e veio tentar a carreira artística, seguindo o passo dos pais, Donald Sutherland e Shirley Douglas.

No novo trabalho, Sutherland atua ao lado do jovem David Mazouz, um garoto que de nada lembra seus anos loucos em Hollywood, quando dividiu uma casa com Robert Downey Jr. e participou dos clássicos modernos “Conta Comigo” (1986) e “Os Garotos Perdidos” (1987), nos quais vivia jovens rebeldes.

“David não tem celular, e sua mãe o traz para trabalhar na hora certa. É um garoto único, que gosta de ler livros no set. Lembro de fazer filmes como ‘Conta Comigo’ onde realmente tínhamos que esperar um tempão até o garotos se acalmarem e coisas assim”, lembra.

“E David chega com um entusiasmo que me faz voltar no tempo, quando comecei a trabalhar. Quando ficamos velhos, deixamos de dar importância a muitas coisas.”

Mas envelhecer trouxe pontos positivos. O amadurecimento o ajudou no relacionamento com a primeira filha, Sarah, hoje com 25 anos e atriz estreante. Sarah fez sua primeira aparição na TV em 2012, como filha da vice-presidente no seriado “Veep”.

“Fiquei decepcionado quando ela disse que queria ser atriz. Ela é uma garota tão esperta!”, comentou. Mas ele não foi do contra nem instigou, mesma atitude que seu pai famoso teve com ele.

Sutherland só foi conhecer os trabalhos de Donald Sutherland quando tinha 18 anos, ao encontrar diversas fitas em VHS na casa de um amigo. Ele assistiu a uns nove longas num único final de semana e, imediatamente, decidiu que queria ser “aquele tipo de ator”.

“O trabalho de meu pai teve um impacto extremamente profundo em mim, nas escolhas que fiz.”

Kiefer e Donald, 77, devem contracenar num faroeste neste ano, juntos pela primeira vez em 17 anos –a última vez foi no drama sobre racismo “Tempo de Matar”(1996). O projeto, ainda sem nome, fala sobre um filho que volta para casa da Guerra Civil após a morte da mãe e reencontra o pai depois de muitos anos. “Estou muito animado. E um pouco nervoso também.”

Na TV

Touch
Exibição do primeiro episódio da segunda temporada Amanhã (6), às 10h, na Fox
Classificação 14 anos

(Fonte: Folha)

Carregando