Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Conexão 3G é praticamente inexistente em rodovias brasileiras

Não é novidade afirmar que o smartphone possui diversas utilidades. Uma delas, é a favorita dos motoristas: o GPS, que pode auxiliar o condutor a chegar no destino sem muita complicação, além de ser o melhor aliado na hora de pegar estradas. Porém, para usufruir deste aplicativo em seu smartphone é preciso, primeiramente, ter um […]

Foto: Reprodução

Não é novidade afirmar que o smartphone possui diversas utilidades. Uma delas, é a favorita dos motoristas: o GPS, que pode auxiliar o condutor a chegar no destino sem muita complicação, além de ser o melhor aliado na hora de pegar estradas. Porém, para usufruir deste aplicativo em seu smartphone é preciso, primeiramente, ter um sinal 3G. Mas será que ele lhe deixará na mão fora dos centros urbanos – e quando você mais precisar dele?

Entre os dias 4 de março e 25 de abril, os técnicos da Proteste – Associação dos Consumidores percorreram, de carro, mais de 5 mil quilômetros nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste e mediram o sinal da rede 3G das principais operadoras do País – Oi, TIM, Claro e Vivo. O resultado foi que todas elas possuem sinal muito fraco (ou nenhum) na maioria dos trechos percorridos, o que impossibilita qualquer acesso à internet ou ao GPS do celular.
O sinal 3G (superior a 400 kbit/s) apenas foi registrado nas capitais e em algumas regiões metropolitanas, sendo que nenhuma operadora cobriu mais do que 51% do trajeto percorrido pelos técnicos da Associação. Nas rodovias, longe desses centros, a conexão caiu drasticamente e são raras as vezes que ela atingiu velocidade 3G. Os testes mostraram, por exemplo, que praticamente não há qualquer sinal nas estradas do Nordeste. Já a região Sul tem a menor cobertura com qualquer tipo de sinal de celular, considerando estradas e região metropolitana.

Entre as operadoras Segundo a Proteste, a Claro teve a pior conexão entre as operadoras. Em média, 65% das tentativas de acessar a rede 3G da Claro, no estado de São Paulo, foram sem sucesso. Na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, as conexões foram poucas e muito lentas. O mesmo ocorreu nas capitais Maceió e Fortaleza. No Sul, a Claro foi a operadora com menos acessos. Contudo, apesar das poucas conexões, quando elas ocorrem, possuem a melhor média de velocidade entre as operadoras.

No caso da TIM, ela se destaca no Nordeste, com a melhor cobertura 3G. A única capital dessa região com má recepção foi Natal. No litoral paulista, seu sinal era lento e só aparecia em poucos pontos, mas foi a melhor na Região dos Lagos, do Rio. No Sul do país, seu sinal foi fraco em Foz do Iguaçu e Florianópolis.

A Oi foi a que atingiu a maior área do estado de São Paulo. Sua conexão nem sempre era 3G, mas dava para acessar a Internet, informou a Proteste. Contudo, não foi encontrado nenhum sinal da Oi em Sorocaba, interior de São Paulo. “Vale registrar que a Oi limita, em todo Brasil, sua conexão a 1.000 kbit/s, porém é a mais presente nessa velocidade do que as demais operadoras.”

Já a Vivo se saiu muito bem no Nordeste, com a conexão mais rápida em todas as capitais – destaque para Fortaleza, Maceió e Recife. Mas deixou muito a desejar na região Sul do país.

Além de falta de conexão, a entidade também chamou a atenção em relação à velocidade do sinal ofertados por todas operadoras brasileiras. “O mais rápido que conseguimos foi 7.269 kbit/s, com a Vivo, no bairro do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Esse máximo é a média das conexões 3G em países da Europa, onde a velocidade atinge picos de 20.000 kbit/s”, relatou o estudo.

“Em Busca do 3G Perdido” Nesta segunda-feira (29), a entidade lançou a campanha “Em Busca do 3G Perdido” para as pessoas que não conseguem usar o celular relatarem o problema. O internauta pode deixar sua reclamação pela falta de qualidade do serviço do 3G no site: www.embuscado3gperdido.com.br.

Outro lado Procurada pelo Portal InfoMoney, a TIM informou que está avaliando os resultados do teste da Proteste para “verificar oportunidades de melhoria em sua rede 3G ao longo das estradas brasileiras”. A empresa também informou que 90% do investimento de R$ 10,7 bilhões da operadora serão utilizados em projetos de infraestrutura. Ela também destacou que “de acordo com a regulamentação vigente, é faculdade da operadora cobrir estradas fora dos distritos sede dos municípios.”

Já a Oi informou, por nota, que também está investindo na expansão da cobertura e da capacidade da rede 3G em todo o País. De janeiro a junho deste ano, a Oi afirma que já levou a rede 3G para mais de 170 novos municípios, o que representa um acréscimo de mais de 5 milhões de pessoas no total da população urbana coberta pela companhia. A operadora acrescenta que, em 2012, o número de municípios cobertos pela rede 3G da empresa cresceu 155%.

Por nota, a Claro afirmou que está presente com sua rede 3G nas principais rodovias do País e promete investimentos em infraestrutura. “Até 2014, serão investidos R$ 6,3 bilhões no país em infraestrutura de rede, sendo parte desses investimentos destinada especificamente para o reforço da cobertura 3G nas estradas do País. A Claro já conta com cobertura 2G na maior parte da malha viária brasileira.”

Até o fechamento desta matéria, a Vivo não se pronunciou sobre o assunto.

(FONTE: Yahoo! e InfoMoney)

Carregando