Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Carros envolvidos em fraudes de emissões terão recall em janeiro

O chamado terá início na Europa e envolverá oito milhões de modelos

Foto: Reprodução

A Volkswagen anunciou que começará em janeiro o recall de carros afetados pela manipulação dos níveis emissões de poluentes. O chamado terá início na Europa e envolverá oito milhões de modelos com o motor a diesel EA 189 da montadora alemã. Carros da Audi, Skoda e Seat também serão convocados.

A informação foi divulgada pelo novo CEO da marca, Matthias Müller, ao jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung. Segundo o executivo, se tudo correr conforme o planejado, o recall terá início em janeiro de 2016 e chegará ao fim no final do ano.

Segundo Müller, os carros com motor 1.2 TDI, 1.6 TDI e 2.0 TDI receberão atualização de software, mas em alguns casos será necessário trocar peças. O CEO também disse que quatro funcionários da empresa foram demitidos até agora, incluindo três gestores. A identidade deles não foi divulgada.

Müller disse que a montadora pode “brilhar de novo” em um prazo de dois a três anos. “Nós queremos fazer uma companhia menor, mais descentralizada e dar às marcas mais responsabilidade”, afirmou.

Entenda o caso

Os Estados Unidos possuem um plano agressivo de combate às emissões de CO2. Para controlar os níveis de poluentes enviados ao meio ambiente, carros passam por testes realizados pela Agência de Proteção Ambiental (EPA). Um relatório indicou, em setembro, que a Volkswagen havia programado 500 mil veículos movidos a diesel para emitir menos poluentes durante testes ambientais. A montadora, porém, anunciou que o problema envolvia um número bem maior de carros – 11 milhões.

Os dispositivos estão instalados em motores tipo EA 189 2.0 Diesel, que são vendidos pela marca como “Clean Diesel” (“Diesel Limpo”, na tradução livre). Estes carros estão emitindo de 10 a 40 vezes mais poluentes do que o limite legal.

A VW destinou 6,5 bilhões de euros para consertar os problemas envolvidos com a fraude. As multas podem somar US$ 18 bilhões somente nos EUA e a montadora também pode ser proibida de vender o motor.

Carregando