Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Como fazer ‘chupeta’ no carro

Quando o carro fica sem bateria, a primeira coisa que vem a cabeça é fazer uma ligação em paralelo com outra bateria. Popularmente conhecida como “chupeta”, é uma operação delicada: as montadoras não recomendam, pois, se alguns cuidados não forem observados, este procedimento poderá desestabilizar o sistema elétrico dos dois carros, gerando picos de corrente […]

Foto: Reprodução

Quando o carro fica sem bateria, a primeira coisa que vem a cabeça é fazer uma ligação em paralelo com outra bateria. Popularmente conhecida como “chupeta”, é uma operação delicada: as montadoras não recomendam, pois, se alguns cuidados não forem observados, este procedimento poderá desestabilizar o sistema elétrico dos dois carros, gerando picos de corrente que danificarão módulos e sensores eletrônicos. Em situações extremas, um curto circuito poderá até gerar a explosão da bateria e consequente incêndio do motor.


Quando fazer?
A bateria perde sua carga quando o sistema elétrico está em curto ou quando você estacionou o carro e deixou algo ligado, como por exemplo: lanternas, rádio, luz interna de cortesia, luz do porta malas, capô do motor, módulo de potência, enfim, qualquer sistema que consuma a carga da bateria, deixando a tensão tão baixa que o motor de partida não consegue virar o motor.


Como fazer?
De posse de cabos apropriados com o sistema de garras tipo jacaré nas pontas, aproxime outro carro que esteja com a bateria boa, de forma que o comprimento dos cabos possa ligar as duas baterias simultaneamente.

Antes de abrir o capô e fazer qualquer ligação, certifique-se de que todos os equipamentos elétricos como lanternas, faróis e rádios, dos dois carros, estejam desligados.

Agora, sim, com os dois carros desligados, faça a conexão dos cabos. Comece pelo cabo preto, o negativo, conectaando com o polo negativo (-) de bateria (há uma indicação nela) com a outra, negativo com negativo. Depois, o cabo vermelho deve ser ligado ao polo positivo (+) de cada bateria.

Dê a partida no carro bom, espere uns três minutos e dê a partida no carro com a bateria ruim. Assim que o carro pegar, remova imediatamente os cabos das baterias, começando pelo cabo preto (negativo), tomando muito cuidado para não encostar no cabo vermelho. Em seguida, desconecte o cabo vermelho.

E se não der certo?
Baterias duram entre 2 e 3 anos, dependendo da intensidade de uso. Se a bateria de seu carro é nova, vale a pena levar o carro em um autoelétrico ou concessionária para verificar os seguintes itens:

1) Se o alternador esta carregando corretamente. Este teste é feito com o motor em funcionamento e a tensão deve estar entre 13,0 e 14,5 V;

2) Se existe alguma fuga de corrente. É como se algum equipamento elétrico ficasse ligado direto, mesmo com carro desligado;

3) Se a bateria suporta um teste de carga, aquele em que ligamos todos os sistema elétricos do carro para checar se a tensão nos bornes da bateria fica abaixo de 12V.

A bateria é um daqueles itens de grande responsabilidade e que exige manutenção preventiva. A falta de acompanhamento pode deixar o motorista em uma situação bem desconfortável.

Carregando