Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Produção de veículos cai 24,3% no ano, diz Anfavea

Os estoques, porém, continuam altos. Em maio, os pátios das fábricas e das concessionárias fecharam com 236,4 mil unidades.

A produção de veículos caiu 24,3% no acumulado dos cinco primeiros meses do ano —até maio, as montadoras instaladas no país fabricaram 834,05 mil unidades. Já as vendas caíram 26,6%, passando de 1,10 milhão de veículos para 811,74 mil no período. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Em maio, a montagem de veículos caiu 18% no comparativo com o mesmo período do ano passado, chegando a 175, 3 mil unidades. Em relação a abril, porém, ocorreu alta de 3,2%. As vendas também apresentaram o mesmo comportamento. No comparativo com maio de 2015, ocorreu uma queda de 21,3%, 167,5 mil ante 212,7 mil unidades. Em contrapartida, em relação a abril as montadoras venderam 2,8% a mais.

Os estoques, porém, continuam altos. Em maio, os pátios das fábricas e das concessionárias fecharam com 236,4 mil unidades, o que representa 42 dias de vendas.

As exportações continuam em alta no acumulado. De acordo com dados da Anfavea, foram exportados 183,25 mil unidades, crescimento de 21,8%. Mas, por mudança do mix embarcado, as vendas externas de veículos acumulam queda de 12,6% no período— US$ 3,9 bilhões ante US$ 4,5 bilhões apurados em 2015.

Mesmo a melhora nas exportações em volume tem mantido o nível de emprego estável. No mês passado, cerca de mil postos de trabalho foram fechados. Hoje, a força de trabalho das montadoras gira em torno de 128 mil funcionários.

REVISÃO DAS ESTIMATIVAS

Diante de um cenário político e econômico mais estável, a Anfavea revisou as previsões para este ano. O presidente da entidade, Antonio Megale, ressaltou que este ano a queda nas vendas será de 19%, chegando a 2,014 milhões veículos. A estimativa anterior era de recuo de 7,5%.

Já em relação à produção, a Anfavea prevê uma queda de 5,5% ante uma estimativa de alta de 0,5%. Para a entidade, as montadoras devem fabricar 2,29 milhões de veículos.

“O segundo semestre geralmente é melhor do que o primeiro. Acreditamos que o mercado já começou a se estabilizar agora em maio e isso deve se manter”, disse Megale.

Segundo ele, as exportações deverão apresentar uma evolução de 21,5%, chegando a 507 mil veículos embarcados. A expectativa anterior era de uma alta de 8,5%.

“Este ano já verificamos uma melhora no nível dos embarques e com os novos acordos que estão sendo firmados e a renovação com a Argentina, estimamos que possam estimular ainda mais o comércio externo do setor”, afirmou Megale.

Carregando