Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Cientistas ‘flagram’ pela primeira vez um tubarão branco dormindo, na costa do México

Cientistas acreditam ter, enfim, descoberto como os tubarões brancos dormem.

tubarao

 

Cientistas acreditam ter, enfim, descoberto como os tubarões brancos dormem. Até então, nada se sabia sobre a logística do sono, uma vez que os tubarões estão sempre em movimento. Mas o uso de tecnologia de ponta e câmera subaquáticas parecem ter ajudado pesquisadores a decifrar tal mistério da espécie, que pode atingir 6 m.

Registrado pelo canal a cabo “Discovery Channel”, que seguiu uma fêmea apelidada de Emma, na ilha de Guadalupe, na costa do México, os cientistas perceberam que o comportamento do tubarão começou a mudar ao cair da noite. Enquanto, durante o dia, o animal costuma nadar em águas profundas, seu movimento noturno geralmente se dá mais perto do litoral.

Por volta de 20h30, os pesquisadores observaram que as mandíbulas de Emma começaram a se abrir, e ela entrou “em um estado quase catatônico”. No entanto, ela continuou a se mover através da água, embora mais lentamente do que o habitual. Se o tubarão parasse de se mover, a água não fluiria através de suas brânquias e ela iria perder a flutuabilidade, sufocando.

Emma é flagrada dormindo enquanto nada pelas águas da ilha de Guadalupe.

Em 2015, perto da mesma ilha do Pacífico, o biólogo Mauricio Hoyos Padilla registrou aquele que é considerado o maior tubarão branco já registrado, com 6,1 m, uma fêmea que estava grávida à época.

Carregando