Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

BMW M2: primeiras impressões

Esportivo é o melhor M feito pela marca alemã nos últimos anos. Com carroceria compacta, cupê é fácil de dirigir, mas é diversão cara.

De tempos em tempos, montadoras conseguem criar modelos que serão lembrados por várias gerações. Um exemplo é o Honda Civic de 2006, que muita gente considera a melhor geração já feita do sedã.

Ainda é cedo para dizer, mas o novo BMW M2 Coupé tem grandes chances de ficar marcado como o melhor veículo da BMW Motorsport, a preparadora de fábrica da empresa bávara, em vários anos.

O cupê esportivo, que chega como o “herdeiro” do 1M Coupé, acaba de ser lançado no Brasil. Além de ser o mais novo, ele é também o mais barato (ou menos caro) entre os carros com “sangue quente” da BMW.

BMW M2 tem diferenças visuais na dianteira, na comparação com o Série 2 Coupé (Foto: Divulgação)

Para tê-lo, é preciso desembolsar R$ 379.950, contra R$ 439.950 do M3, até então o M “de entrada”. Com esta quantia, o rico comprador leva para casa um cupê de duas portas com motor 3.0 de seis cilindros, 370 cavalos e 47,4 kgfm de torque e todos os aparatos da M.

A lista inclui suspensões dianteira e traseira com alívio de peso (emprestadas do M3 e do M4), diferencial traseiro com ajustes eletrônicos, controle de estabilidade dinâmico, vetorização de torque e reforços no chassi.

Traduzindo, a eletrônica é capaz de equilibrar o torque entre as rodas traseiras, evitando que uma delas gire em falso, e otimizando o desempenho em curvas. Já o controle de estabilidade dinâmico deixa a condução mais permissiva.

concorrentes-m2_

Infográfico / G1.com.br

À prova de ‘brações’
Com 66 cv menos potente do que o M3 e M4, pode-se imaginar que o M2 não seja tão divertido quanto outros esportivos da BMW. Errado. O pequeno cupê, com seu porte na casa dos 4,5 metros de comprimento, é o M mais prazeroso que a BMW fez em alguns anos.

Fácil de dirigir, o M2 é extremamente obediente às ordens do piloto. Ao chegar na reta, marcha atrás de marcha, o motor enche e o cupê avança bons metros com vontade. Seu tamanho mais compacto, também ajuda a contornar curvas sem “reclamar”, como acontece com o M3 em alguns casos.

Toda a eletrônica apresentada há pouco só contribui para que o carro seja praticamente à prova de “brações” ou candidatos a piloto. Por outro lado, em momento algum ela corta a diversão do condutor.

O M2 acelera de 0 a 100 km/h em 4,3 segundo, marca 0,2 segundos pior do que o M3, e apenas 0,8 segundos abaixo de um Porsche 911 GT3, de 475 cv. A velocidade máxima é limitada em 250 km/h, mas existe um pacote que permite elevá-la aos 270 km/h

Saídas de escape duplas são exclusividade do BMW M2 (Foto: Divulgação)

Visual ‘matador’
No visual, o M2 guarda semelhanças com os irmãos maiores, mas traz boa dose de personalidade própria. As lanternas são mais curtas, enquanto os faróis têm desenho mais afilado.

Em relação aos outros Série 2 Coupé, ele também tem para-choques com entradas de ar maiores, rodas de 19 polegadas com cinco raios, duas saídas duplas de escape e acabamento interno com detalhes em fibra de carbono.

A cabine tem o mesmo layout de praticamente qualquer outro BMW. Os comandos do ar-condicionado de duas zonas (com comandos separados para piloto e passageiro) e central multimídia não mudam, assim como o quadro de instrumentos com grafismos conservadores.

O volante poderia ter diâmetro menor.

O espaço ínfimo para os passageiros que viajam no banco de trás é só um detalhe. Há ainda 390 litros no compartimento de bagagens, que tem pequena abertura.

Cabine do M2 tem o mesmo visual dos interiores dos demais carros da marca (Foto: Divulgação)

Mercado
Ser o M mais barato do Brasil não é a mesma coisa de dizer que o M2 é um esportivo acessível.

Afinal, são poucos os que podem despender R$ 380 mil reais em um veículo. Até na comparação com seus rivais alemães o M2 é uma diversão cara.

Apesar de não serem cupês, os concorrentes mais próximos do M2 são o Mercedes-AMG A45 e o Audi RS 3. O primeiro passou por uma reestilização recente, e traz um competente motor 2.0 de 381 cv. Custa R$ 301,9 mil. O segundo desembarcou no país em abril, e sai de fábrica equipado com motor 2.5 de cinco cilindros e 367 cv. Tem tabela em R$ 290.990.

Conclusão
Com o M2, a BMW conseguiu fazer um esportivo cheio de personalidade, mas sem esquecer das raízes da marca.

Com uma carroceria mais compacta do que os outros carros da grife M, ele apresenta dirigibilidade extremamente apurada e prazerosa.

O grande problema do BMW M2 é ele custar muito mais do que seus pares. A diferença para o RS 3, por exemplo, permite ao comprador adquirir um Chevrolet Cruze LT, recém-chegado ao Brasil, por R$ 89,9 mil. Ou então, dá pra levar, de uma só vez, um Mercedes A 45 AMG e um Jeep Renegade básico.

BMW M2 (Foto: Divulgação)

Carregando