Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Era Trump começa com criação de empregos acima do esperado

Economia ganhou 227 mil vagas em janeiro. Salários, no entanto, tiveram alta modesta

emprego-Trump

Trabalhador em depósito da Amazon na Califórnia: taxa de desemprego subiu 0,1 ponto percentual.

WASHINGTON – A criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos superou as expectativas em janeiro diante do aumento nas contratações por parte das empresas de construção e varejistas. Com isso, o governo do presidente Donald Trump fica em boa posição para impulsionar a economia e o emprego.

Fora do setor agrícola, a criação de empregos foi de 227 mil vagas no mês passado, o maior ganho em quatro meses, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira. Mas a taxa de desemprego subiu 0,1 ponto percentual, para 4,8%, e os salários aumentaram apenas modestamente, sugerindo que ainda há alguma folga no mercado de trabalho.

As revisões dos meses de novembro e dezembro mostraram que a economia criou 39 mil empregos a menos do que o relatado anteriormente. Ainda assim, o mercado de trabalho continua a apertar, o que poderia estimular um ritmo mais rápido de crescimento dos salários em breve. Autoridades do Federal Reserve, banco central dos EUA, vêem o mercado de trabalho como estando em pleno emprego ou perto dele.

Economistas consultados pela Reuters projetavam criação de 175 mil vagas no mês passado e que a taxa de desemprego permaneceria em 4,7%.

Na campanha eleitoral do ano passado, Trump prometeu um crescimento anual de 4% do Produto Interno Bruto, em grande parte com um plano para cortar impostos, reduzir regulações, aumentar os gastos com infraestrutura e renegociar acordos comerciais a favor dos Estados Unidos.

Embora ainda não haja detalhes sobre as propostas, a confiança empresarial e dos consumidores saltou na esteira da vitória de Trump em novembro. Mas com a economia perto do pleno emprego, alguns economistas mostram-se céticos sobre a promessa de expansão de 4 por cento. O crescimento anual do PIB não supera 2,6 por cento desde a recessão de 2007/08.

CRESCIMENTO DO SALÁRIO

O salário médio por hora aumentou apenas 3 centavos de dólar, 0,1%, no mês passado. O ganho do salário em dezembro foi revisado para baixo para 0,2%, ante 0,4% previamente relatado.

O pequeno aumento de janeiro no salário médio por hora é uma surpresa, já que o salário mínimo entrou em vigor em mais de uma dezena de Estados no mês passado. A pequena alta reduziu o aumento na comparação anual para 2,5%, ante 2,8% em dezembro.

Se persistir, o aumento fraco dos salários sugere apenas um ritmo gradual de altas de juros pelo Fed. O banco central dos EUA, que elevou a taxa de juros em dezembro, tem projetado três aumentos este ano.

Na quarta-feira, o Fed manteve a taxa de juros na faixa entre 0,50 e 0,75 por cento, dizendo que espera que as condições do mercado de trabalho se fortaleçam “um pouco mais”.

Todos os setores da economia tiveram criação de vagas em janeiro. A indústria criou 5 mil empregos, enquanto a criação em construção saltou 36 mil, maior aumento desde março.

O varejo surpreendeu com a criação de 45.900 vagas, maior alta desde fevereiro. Os varejistas, incluindo Macy’s, Sears, American Apparel e Abercrombie & Fitch anunciaram cortes de emprego em janeiro devido ao fechamento de lojas.

Entretanto, o emprego no setor público caiu pelo quarto mês consecutivo em janeiro, fechando 10 mil postos de trabalho. Outras quedas são prováveis, depois que a administração Trump impôs um congelamento das contratações para trabalhadores civis do governo em 22 de janeiro.

 

Carregando