Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Você sabe como o Sistema Solar se formou?

Segundo o pessoal do site Wise Geek, isso aconteceu há cerca de 4,6 bilhões de anos, isto é, pouco mais de 9 bilhões de anos depois do Big Bang, evento que deu origem ao Universo.

O nosso “endereço oficial” na Via Láctea, como todo mundo sabe, é o Sistema Solar — onde a Terra, nosso lindo planetinha, orbita ao redor do Sol, juntamente com outros mundos e uma porção de astros menores. E você sabe quando e como o nosso sistema planetário se formou? Segundo o pessoal do site Wise Geek, isso aconteceu há cerca de 4,6 bilhões de anos, isto é, pouco mais de 9 bilhões de anos depois do Big Bang, evento que deu origem ao Universo.

Nosso endereço na galáxia.

E como é que os cientistas fizeram para chegar a essa idade de 4,6 bilhões de anos? A estimativa foi proposta após alguns meteoritos — entre eles o Canyon Diablo — serem submetidos à datação por radiocarbono. Pois, de acordo com o Wise Geek, os cientistas acreditam que tanto o Sol como o próprio sistema solar se formou mais ou menos na mesma época, a partir de uma imensa nuvem de material com muitos e muitos anos-luz de extensão.

Nascimento de estrelas

A ideia de que o Sistema Solar se formou a partir de uma gigantesca concentração de poeira e gás estelar é conhecida como “Hipótese Nebular”, que não é perfeita, mas ajuda a explicar a estrutura atual do nosso sistema planetário. Segundo Nola Taylor Redd, do portal Space.com, essa hipótese propõe que algo — como uma supernova, por exemplo — levou o material presente na nuvem a formar aglomerações que, por sua vez, foram se tornando gradualmente mais densas.

Tudo começou com uma nuvem de gás e poeira cósmica.

Ainda segundo a hipótese nebular, as regiões de maior densidade dentro da nuvem foram entrando em colapso sob a própria gravidade, dando origem a inúmeros jovens corpos celestes conhecidos como protoestrelas. A ação gravitacional desses objetos, por sua vez, foi atraindo cada vez mais material e, pouco a pouco, isso tudo foi se compactando e dando origem a reações de fusão nuclear e às estrelas propriamente ditas — entre elas o nosso Sol.

Disco protoplanetário.

Depois que as reações nucleares começaram, o Sol — recém-nascido — teria começado a expelir ventos estelares que, além de ajudar a “limpar” uma grande área ao seu redor, levaram à formação de um disco de material (chamado disco protoplanetário) que ficou orbitando ao redor da estrela. Então, a ação gravitacional do Sol levou os fragmentos presentes nesse disco a começaram a se condensar e, com o tempo, formar os planetas.

Sistema em formação

Os planetas do Sistema Solar se formaram gradualmente, a partir da aglomeração de partículas de matéria presentes no disco protoplanetário que foram se condensando e agrupando, formando pequenos objetos.

Apesar de gradual, o processo foi super-rápido — em termos astronômicos, claro!

Então, esses objetos foram colidindo uns com os outros e se fundindo até dar origem a corpos maiores e, com o tempo, os mundos que nós conhecemos começaram a surgir. Segundo as estimativas, o processo de formação dos planetas levou cerca de 100 milhões de anos — o que, em termos astronômicos, seria equivalente a um piscar de olhos!

Os pequenos mundos rochosos, compostos principalmente por silicatos e ferro, se formaram mais pertinho do Sol porque as temperaturas eram altas demais para que elementos voláteis pudessem se condensar sobre suas superfícies. Portanto, é por essa razão que Mercúrio, Vênus, a Terra e Marte se encontram mais próximos da nossa estrela.

E foi assim que o Sistema Solar nasceu!

Os gigantes gasosos, por outro lado, se formaram em regiões mais distantes do Sol, onde as temperaturas são baixas o suficiente para que os compostos voláteis pudessem se condensar. Esses “planetões” são, como você sabe, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno, e atualmente se encontram nas órbitas mais externas no Sistema Solar.

Além dos planetas, ainda temos dois cinturões de asteroides, um que se encontra entre Marte e Júpiter — e cuja formação está associada à ação gravitacional do gigante gasoso —, e outro que se chama Cinturão de Kuiper, e é o local onde Plutão e outros planetas-anões e corpos celestes estão. Mais além, temos a Nuvem de Oort, um imenso disco composto principalmente por amônia, gelo e metano e que teria se originado quando o Sistema Solar se encontrava nos primeiros estágios de sua formação.