Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Governo apresenta investimentos e medidas de apoio aos empresários

Para Flávio Dino, o diálogo mensal com os empresários por meio do CEMA é essencial para o desenvolvimento do Maranhão, pois ele é marcado pelo espírito de parceria entre o Governo e a iniciativa privada.

Foto: Reprodução

Em mais uma reunião com entidades integrantes do Conselho Empresarial do Maranhão (CEMA), o governador Flávio Dino fez uma grande exposição da atual conjuntura maranhense em relação a situação fiscal, problemas que ainda pesam, o esforço do Governo, manutenção e ampliação dos serviços públicos e investimentos privados. Na reunião, ocorrida na noite desta quarta-feira (19), no Palácio dos Leões, ele ainda apresentou o projeto ‘Caravana Empresarial’, parceria entre o poder público e a iniciativa privada para atuação em conjunto.

Durante mais de uma hora, o governador expôs aos empresários a atual situação do Maranhão. Ele discorreu sobre temas como situação fiscal, em que o estado ocupa posições de destaque nacional, segundo entidades como a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) e o Banco Central. Ele abordou, ainda, problemas fiscais que ainda pesam, como o subfinanciamento da saúde, área que o Governo tem que desembolsar R$ 1,6 bilhão por ano para complementar os repasses federais. Flávio Dino falou também sobre o esforço do Governo para o pagamento de precatórios, que ficou paralisado durante alguns anos, além da manutenção das dívidas interna e externa em dia. “Tenho quatro dogmas de fé no Governo: manter a folha dos servidores, os Poderes, a saúde e as contas em dia”, ressaltou.

O governador apresentou, ainda, o vigoroso projeto de ampliação dos investimentos públicos, do qual faz parte a contratação de novos policiais, abertura de novos hospitais e centenas de outras obras em todo o estado. Na ocasião, ele também elencou os investimentos privados que estão sendo realizados no Maranhão e as perspectivas para futuros investimentos.

Para Flávio Dino, o diálogo mensal com os empresários por meio do CEMA é essencial para o desenvolvimento do Maranhão, pois ele é marcado pelo espírito de parceria entre o Governo e a iniciativa privada. “Esse projeto do Conselho Empresarial vem dando certo, nós temos a presença dos secretários do Governo, do próprio governador e do vice-governador, mas, sobretudo, de destacadas lideranças empresariais que trazem reivindicações, ideias e propostas, que temos implementado para que nós tenhamos incentivos financeiros, fiscais, e, acima de tudo, um ambiente amigável para o investimento” destacou. Para ele, é isso que o Brasil está precisando, “que haja entendimento para que diante da conjugação de esforços do poder público com os investimentos privado” a economia volte a crescer e gerar empregos.

O secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, enfatizou que a transparência e o diálogo com o empresariado é uma das marcas do Governo, que pode ser traduzida pelo CEMA. “Hoje o governador Flávio Dino deu mais uma grande prova desse diálogo franco, aberto, próximo das entidades empresariais, apresentando todo o Governo e todos os investimentos e todos os gargalos que a gente tem lutado diariamente para vencer no Maranhão”, realçou.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Edílson Baldez, parabenizou o Governo do Estado pela abertura para a participação colaborativa da iniciativa privada na formulação de políticas públicas que visem o desenvolvimento econômico do Maranhão. “Tenho quase 50 anos como empresário. Jamais nós tivemos oportunidade de um diálogo aberto com o Governo ou com qualquer gestor público do Estado. Tenho que parabenizar a forma como o Governo tem encarado as coisas”, parabenizou.

Caravana Empresarial

Durante a exposição, o governador Flávio Dino apresentou o projeto da ‘Caravana Empresarial’, que consiste na atuação em conjunto  com o empresariado dos municípios, com o escopo de dialogar, divulgar as ações realizadas pelo Governo do Estado, prestar serviços e atendimentos especializados, estimulando o comércio local e promovendo o desenvolvimento nas regiões maranhenses.

Marcadas para acontecer entre os dias 16 de maio e 09 de novembro, as Caravanas percorrerão as cidades de Açailândia, Bacabal, Balsas, Barra do Corda, Barreirinhas, Caxias, Chapadinha, Codó, Coroatá, Estreito, Imperatriz, Itapecuru Mirim, Pedreiras, Pinheiro, Presidente Dutra, Santa Inês, Santa Luzia, Santa Luzia do Paruá, São João dos Patos e Timon.

Entre os serviços que serão prestados estão o ‘Juros Zero’, que visa a concessão de crédito de até R$ 10 mil, juros zero para quem pagar o financiamento em dia e a parceria com o Banco Oficial. Além disso, serviços da Junta Comercial do Maranhão (Jucema), Secretarias de Meio Ambiente (SEMA), da Fazenda (SEFAZ), da Indústria e Comércio (SEINC), entre outras, estarão disponíveis.

O secretário de Governo, Antônio Nunes, disse que a classe empresarial ficou bastante entusiasmada com o projeto da Caravana, “porque eles se colocaram a disposição para ajudar na captação, no convite aos empresários do interior, o que demonstra que o evento terá êxito. Nunca na história se teve um evento em que o Governo do Estado estará presente nos municípios para tratar diretamente com a classe empresarial. Inclusive oferecendo serviços, mostrando as ações que já fizemos mas, acima de tudo, ouvindo essa classe de empresários”, pontuou Nunes.

A presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Maranhão (CDL), Socorro Noronha, explicou que a realização da Caravana atende a uma reivindicação antiga dos empresários, sobretudo os do interior. “Vai ser bastante efetiva porque é um pedido que a gente vem fazendo há bastante tempo. A aproximação do Governo do Estado. Certeza que a adesão vai ser maciça, sobretudo esse Juros Zero”, destacou.

Ela enfatizou, ainda, o diálogo transparente e aberto adotado pelo Governo do Maranhão e a forma como o Estado vem sendo gerido. “A gente viu pelos números e nós ficamos contentes com o que foi apresentado hoje. Queria dizer que, para mim, é uma satisfação fazer parte do Conselho e ver da forma como as entidades de classe e o empresariado do Maranhão vêm sendo tratado pelo Governo do Estado”, finalizou.