Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Estudo define foco de desenvolvimento da “Internet das coisas” no Brasil

São estes: Cidades inteligentes, saúde e rural.

Foto: Reprodução

O estudo técnico Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil, divulgado nesta quinta-feira (6), definiu o foco do desenvolvimento dessas tecnologias no Brasil. São estes: Cidades inteligentes, saúde e rural. Estas devem ser as áreas prioritárias para iniciativas e políticas públicas que visem ao desenvolvimento da internet das coisas. Esta seleção atendeu aos fatores de relevância dos segmentos para a economia nacional e os projetos inovadores em curso.

A Internet das Coisas é uma revolução tecnológica que tem como objetivo de conectar dispositivos eletrônicos utilizados no dia-a-dia (como aparelhos eletrodomésticos, eletroportáteis, máquinas industriais, meios de transporte etc.) à Internet, cujo desenvolvimento depende da inovação técnica dinâmica em campos como os sensores wireless, a inteligência artificial e a nanotecnologia.

As conclusões finais do estudo vão subsidiar o Plano Nacional de Internet das Coisas, que deve ser anunciado pelo governo até o fim deste ano. Terão prioridade também os segmentos de petróleo e gás e mineração, dentro das indústrias de base; e têxtil e automotivo, na indústria manufatureira.

Em paralelo, foram definidas frentes de trabalho que estão presentes em todos os segmentos. Entre elas estão capital humano; investimento, financiamento e fomento; ambiente de negócios; governança e internacionalização; infraestrutura de conectividade; aspectos regulatórios; privacidade de dados; e segurança de dados.

A terceira e última fase do estudo técnico está prevista para ser concluída em setembro. Ela deverá definir os planos de ação de cada frente de trabalho.

Carregando