Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Presidente do tribunal que irá julgar recurso de Lula diz que sentença de Moro é irretocável

Caso o TRF-4 condene Lula, ele ficará impossibilitado de concorrer ao cargo de presidente da República em 2018.

Foto: Reprodução

O desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, que é presidente do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), deu declarações em que afirma que a sentença do juiz Sérgio Moro que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e 6 meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, “é tecnicamente irrepreensível, fez exame minucioso e irretocável da prova dos autos e vai entrar para a história do Brasil”.

É o TRF-4 que vai julgar a apelação do ex-presidente Lula contra a sentença de Moro. A atribuição cabe à 8.ª Turma, composta por três desembargadores.

Thompson, que assumiu a presidência do TRF-4 em junho, comparou a decisão de Moro à sentença que o juiz Márcio Moraes proferiu no caso Vladimir Herzog – em outubro de 1978, quando condenou a União pela prisão, tortura e morte do jornalista.

“Tal como aquela, não tem erudição e faz um exame irrepreensível da prova dos autos”, disse. O TRF-4 é a segunda instância de julgamento dos recursos da Operação Lava Jato. Até quinta-feira, em três anos e cinco meses de força-tarefa, 741 processos já haviam chegado lá, 635 dos quais baixados.

Caso o TRF-4 condene Lula, ele ficará impossibilitado de concorrer ao cargo de presidente da República em 2018.