Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Construção civil apresenta índices positivos na criação de emprego por quatro meses seguidos

No Maranhão, construção civil apresenta índices positivos na criação de emprego por quatro meses seguidos.

Foto: Reprodução

O Maranhão vem driblando a crise e criando novos postos de empregos, é o que mostra o relatório de julho do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). De acordo com os dados, o Maranhão é o sétimo no ranking das 27 unidades da federação que mais empregaram pessoas, com a criação de 1.567 novos postos de empregos formais. O estado segue esse ritmo de crescimento por três meses seguidos.

No Nordeste, o Maranhão obteve o segundo melhor desempenho. A construção civil ganhou destaque na pesquisa por apresentar, por quatro meses seguidos, índices positivos na contratação de mão de obra. No mês de abril foram 309 postos de emprego, em maio 318, junho 867 e no mês de julho o saldo foi de 1.027 empregos.

O secretário de Estado da Infraestrutura (Sinfra), Clayton Noleto, destaca que, apesar das dificuldades econômicas do país, o governador Flávio Dino vem conseguindo elevar os índices de geração de emprego e renda, garantindo a realização de obras importantes e utilizando um conjunto de ações anticíclicas, ajudando a transformar a realidade dos maranhenses.

“As 890 obras que o Governo do Maranhão executa contribuem fortemente para a geração de emprego. O nosso país passa por uma crise que assola a maioria dos Estados, mas com a responsabilidade e a sensibilidade do governador Flávio Dino, o Maranhão está num patamar bem melhor. As obras que acontecem em todos os cantos geram empregos aos moradores melhorando a renda nos municípios. Além do mais, trabalhar em uma obra que vai beneficiar sua comunidade traz um sentimento positivo aos colaboradores”, ressalta Clayton Noleto.

A modificação nos índices sociais transforma histórias como a do ajudante de pedreiro Kenned José de Melo, 38 anos, natural de Santa Luzia, mas que estava morando em Parauapebas, no Pará, por falta de oportunidade em sua cidade natal. “Eu morava em Parauapebas (PA), passei um ano lá desempregado, aí voltei, vi a obra da construção da Praça Matriz, busquei o emprego e consegui. Todos os filhos de Santa Luzia agradecem ao Governo do Estado por essa obra”, comenta José de Melo.

Outra pessoa que conseguiu emprego de carteira assinada foi o pedreiro Domingos Roberto, que encontrou na construção do Núcleo de Educação Integral, na cidade de Codó, uma saída para manter o sustento da família.

“Eu estava desempregado. Geralmente eu trabalho em obra para fora, em São Paulo, Mato Grosso, mas atualmente as oportunidades estavam fechadas aí abriu essa porta aqui em Codó, eu gostei e estou achando bom. Eu moro aqui mesmo em Codó, no bairro Santo Antônio, é uma coisa muito importante trabalhar na cidade da gente, perto de casa, junto da família e também gerar renda para nossa cidade, os nossos colegas são todos daqui também”, afirmou.

Mais empregos

Com o objetivo de dar continuidade ao crescimento na geração de emprego e renda, o Governo do Maranhão criou o programa Mais Emprego, que oferece ajuda financeira às empresas como forma de incentivar a contratação formal. Na primeira etapa do Programa Mais Empregos, o Governo ofereceu incentivos fiscais às empresas de grande porte, concedendo isenção de R$ 500 no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) a cada novo emprego gerado. Mais de 30 empresas aderiram, gerando 500 empregos na capital e no interior do Maranhão. Para as pequenas empresas, o valor de R$ 500 será depositado na conta do empreendimento após comprovação de contratação formal.