Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

MPMA consegue condenação de homem que espancou e matou a tia

Vítima morreu um mês depois do fato, devido aos ferimentos causados pelo espancamento.

Foto: Reprodução

O Ministério Público do Maranhão conseguiu a condenação de Douglas Barbosa Assis, no último dia 4 de agosto, a 26 anos de reclusão e 13 dias de multa pelo crime de latrocínio. O réu espancou a tia, Maria Divina Marinho, de 62 anos, no final do mês de abril, que ficou internada por um mês no Hospital Municipal de Imperatriz até vir a óbito.

A denúncia foi feita em junho pela promotora de justiça Alline Matos Pires, titular da Promotoria de Justiça em Defesa da Mulher.

Responsável pela instrução do processo, o promotor de justiça Joaquim Júnior, titular da Promotoria de Justiça em Defesa do Idoso e da Pessoa com Deficiência, considerou importante a condenação, porque casos como este servem de alerta para a população. Para ele, o número de idosos que morrem por conta de violência doméstica, seja ela física ou psicológica, é maior do que o relatado nas estatísticas. “Muitas vezes um idoso sofre violência, e os agressores dizem que foi uma queda ou algo parecido e o crime acaba passando em branco, sem condenação dos responsáveis”, ressalta o promotor.

A promotora Alline Matos ressaltou a celeridade com que foi analisado e julgado um crime tão grave de violência doméstica e familiar. Foram dois meses. “Foi um crime que chocou toda a população pela enorme carga de violência. É muito importante para nós um julgamento tão rápido, ainda mais na época em que comemoramos o aniversário da criação da Lei Maria da Penha”, diz a promotora.

O CASO
De acordo com o inquérito policial, no dia 29 de abril, Douglas Barbosa furtou a quantia de R$ 1 mil e dois telefones celulares da casa da vítima. O denunciado morava em um quarto nos fundos da casa da tia e a surpreendeu bem cedo com violência, apertando seu pescoço, derrubando-a no chão, desferindo chutes e socos contra o seu rosto, cabeça e demais partes do corpo.

Após as agressões, a vítima desmaiou por algum tempo, momento em que Douglas a arrastou por cerca de dez metros. Foi quando o denunciado fugiu, após furtar o dinheiro e os celulares. Encaminhada para atendimento médico, Maria Divina faleceu no dia 29 de maio em decorrência de insuficiência respiratória por conta de um trauma torácico ocasionado pela violência sofrida.

(MPMA)