Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Tiros e confronto marcam primeiro dia de caravana de Lula pelo Nordeste

Manifestantes pró e contra o petista entraram em confronto e Polícia teve que intervir.

Foto: Reprodução

Policiais militares foram obrigados a intervir para evitar uma batalha campal em Salvador, na Bahia. O tumulto aconteceu no primeiro dia da caravana do ex-presidente Lula. Manifestantes pró e contra o petista chegaram às vias de fato e a Polícia chegou a disparar tiros para impedir o pior. Além disso, uma decisão judicial cancelou a entrega de título honoris causa ao ex-presidente.

Dezenas de manifestantes foram ao estádio Fonte Nova, onde Lula participava do primeiro ato da caravana pelo Nordeste, com o intuito de protestar contra o ex-presidente. Eles levaram o boneco inflável Pixuleco, que retrata o petista como presidiário e foi usado nas manifestações pelo impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff.

Apoiadores do petista avançaram contra o grupo e rasgaram o boneco. Houve princípio de confusão e a PM, que fazia a segurança do evento, tentou apartar os manifestantes. Neste momento, um policial fez os disparos para cima. Ninguém ficou ferido.

Além de enfrentar protestos, Lula também foi obrigado a ver a Justiça Federal cancelar a entrega de um título de doutor honoris que seria concedido pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB).

A decisão, do juiz Evandro Reis, da 10.ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária da Bahia, ocorreu em resposta à ação popular movida pelo líder do DEM na Câmara Municipal de Salvador, vereador Alexandre Aleluia. O vereador apontou “uso eleitoral” da solenidade.