Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Programa de Aquisição de Alimentos incentiva produção de agricultores familiares

Em um mês, no período de 15 de julho a 15 de agosto foram comercializados em 31 municípios, cerca de 68 toneladas de alimentos e R$ 256.675,72 em comercialização.

Foto: Reprodução

“Tenho 37 anos e nunca vi na vida um governo comprar produção de agricultores. Já vendi cinco vezes pelo Programa de Aquisição de Alimentos e estou motivado a produzir mais porque tenho comprador certo. De uma única vez recebi mais de R$ 3 mil reais”, emocionado informou seu Francisco da Costa, conhecido como seu Bil do município de Lagoa Grande.

Os incentivos à produção não param por aí, o seu Bil recebeu um kit de irrigação que permite a produção o ano inteiro. “Meu maior orgulho é, no final da tarde, sentar e admirar a irrigação da minha produção. Nunca imaginei que no meio do verão eu estaria produzindo milho e feijão verde”, pontuou.

Em Lagoa Grande do Maranhão, distante a 374 km de São Luís e com uma população de um pouco mais de 11 mil habitantes, é um dos 30 municípios atendidos pelo Plano Mais IDH do governo do Estado. Após o incentivo à produção a rotina dos agricultores familiares do município mudou. Em apenas quatro meses já foram mais de 8 toneladas de alimentos vendidos e cerca de R$ 30 mil em comercialização.

O secretário de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Adelmo Soares, informou que, em um mês, no período de 15 de julho a 15 de agosto foram comercializados em 31 municípios, cerca de 68 toneladas de alimentos e R$ 256.675,72 em comercialização. O Governo do Estado está executando o PAA em 44 municípios com recurso de R$ 3.250.000. Entre execução direta e mista são 78 municípios do Maranhão beneficiados com recurso de mais de 11 milhões de reais.

“O volume do valor pago em apenas um mês demonstra a valorização dos produtos da agricultura familiar e seus produtores. Dessa forma o Governo do Estado gera renda e dignidade aos nossos agricultores familiares. O recurso circula dentro do município e os alimentos ainda são doados para entidades da rede socioassistencial como hospitais, creches, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), cozinhas comunitárias e etc. enfim, é um programa de alcance social e econômico”, explicou o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Adelmo Soares.

“Aqui no município de Lagoa Grande a gente observa que com a chegada do PAA muitos agricultores familiares estão produzindo mais e querem participar do programa. Além disso, ficamos felizes que esses alimentos saudáveis da agricultura familiar são distribuídos para o Centro de Convivência, que por semana realiza 1.200 refeições, e para o hospital do município”, explicou seu Antônio de Sousa, secretário de agricultura do município de Lagoa Grande.

Segundo o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, o PAA tornou-se prioritário no Governo Flávio Dino e extremamente importante na potencialização da produção. “A assistência técnica tem participação fundamental neste processo. Com ela podemos instruir nossos agricultores familiares a produzir mais e da forma correta aumentando a produção para que possam comercializar cada vez mais”, destacou o presidente Júlio.