Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Delegados e policiais da SHPP são elogiados por investigação de latrocínio

Os delegados Marcos Affonso Júnior e José Nilton foram elogiados pela família da vítima.

Delegados Marcos Affonso Júnior. (Foto: Reprodução)

Por Nelson Melo

Os delegados Marcos Affonso Júnior e José Nilton, ambos lotados na Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), foram elogiados pela família de uma vítima de latrocínio ocorrido em setembro de 2015, quando mataram o professor de línguas Antônio Fernandes da Silva, de 41 anos. A irmã deste, Lúcia, encaminhou uma nota agradecendo aos profissionais na investigação e prisão do autor do crime.

Na nota, Lúcia, representando a família da vítima, enfatizou que muitas pessoas não acreditaram que o crime seria investigado e que o suspeito seria identificado e capturado, mas, a partir da brilhante atuação dos delegados Affonso Júnior e José Nilton, bem como da equipe de investigadores do Departamento de Proteção à Pessoa (DPP), o caso foi totalmente elucidado e o latrocida, Francisco David Santos Lima, 25, foi localizado e, no dia 26 de julho deste ano, ele foi condenado a 21 anos, 9 meses e 7 dias de reclusão em regime fechado.

Para ela, essa investigação mostrou à polícia de todo o Brasil que no País ainda existem profissionais que não estão no cargo por puro status, mas, sim, por dedicação ao trabalho e à vida, para fazer justiça em um território “taxado como injusto”.

A condenação: a sentença do acusado foi proferida na Comarca de Raposa, pela juíza Rafaela de Oliveira Saife Rodrigues. Além de mais de 20 anos de reclusão, David foi condenado, ainda, a 7 dias de multa pelo crime que praticou naquela cidade.

A prisão: em dezembro de 2016, David foi preso no Rio de Janeiro pela Polícia Civil de lá, em cumprimento a mandado de prisão preventiva, que foi representado pelo DHPP, por meio do delegado Marcos Affonso.