Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

‘Xerifa’ maranhense da Rocinha é pivô de guerra do tráfico no Rio

Danúbia é natural de Peri Mirim (a 337 km de São Luís, na Baixada Maranhense), e gostava de ser chamada de “Xerifa da Rocinha”.

(Foto: Reprodução)

A guerra do tráfico entre integrantes da mesma facção (ADA, Amigos dos Amigos), desencadeada desde domingo (17) na Rocinha, no Rio – maior favela da América do Sul – tem como pivô uma maranhense de 33 anos, Danúbia de Souza Rangel, mulher do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o “Nem da Rocinha”, preso na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia.

Danúbia, natural de Peri Mirim (a 337 km de São Luís, na Baixada Maranhense), que gostava de ser chamada de “Xerifa da Rocinha”, está foragida da polícia, mas atuava a mando de “Nem” para que o traficante mantivesse o controle do tráfico de drogas da Rocinha. Porém, Danúbia foi proibida de entrar no morro por outro traficante da ADA, Rogério Avelino da Silva, conhecido como “Rogério 157”, que rompeu com “Nem” porque este resolveu se aliar à facção paulista PCC (Primeiro Comando da Capital). A aliança não foi aceita por Rogério.