Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Brigadistas tentam apagar incêndios em terras indígenas maranhenses

Grajaú está em primeiro lugar entre as cidades que mais queimam no Brasil.

Foto: Reprodução

Na região central e oeste do Maranhão, brigadistas tentam apagar incêndios em terras indígenas. Áreas protegidas estão sendo ameaçadas  pela baixa umidade do ar e do calor que intensificam o fogo. A equipe do Prevfogo também quer incluir a  comunidade na prevenção ao fogo.

A ação está sendo feita por 52 pessoas que estão espalhadas no combate ao fogo nas terras indígenas Porquinhos, Arariboia e Bacurizinho. O Ibama considera que toda a área, nas regiões de Amarante, Barra do Corda e Grajaú é de risco. O principal trabalho dos brigadistas é evitar que o o fogo se espalhe.

No quartel general do Ibama em Grajaú, que fica a 580 km da capital maranhense, planejamento leva em consideração o período em que o estado ainda pode ficar sem chuva.

A cidade de Grajaú, que está em primeiro lugar entre as que mais queimam no país, é a com mais focos de incêndio no Maranhão.  Há oito meses que não chove regularmente na região.

Audiências públicas estão sendo promovidas aos moradores da região para alertar sobre o risco e o prejuízo causados pelos incêndios.

Atualmente o Ibama tem uma frente de trabalho combatendo fogo na terra indígena Bacurizinho, outra em Porquinhos e duas na Arariboia. Nas audiências públicas com a comunidade, além de apresentar todo esse trabalho, o Instituto busca parcerias para o enfrentamento do problema.