Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Justiça mantém prisão de acusado de matar enteada no Maiobão

Por se tratar de crime hediondo, a temporária tem duração de 30 dias, a contar da data da prisão.

Robert Serejo Oliveira, ex-padrasto de Alanna Ludmilla. (Foto: Reprodução)

A juíza Janaína de Carvalho, da Central de Inquéritos e Custódia da Comarca da Ilha de São Luís, realizou na manhã desta terça-feira (08) audiência de custódia do preso Robert Serejo Oliveira, acusado de matar a menina A.L.B.P, enteada dele, no Conjunto Maiobão (Paço do Luminar), no dia 01 de novembro de 2017. A magistrada manteve a prisão temporária, pelos próprios fundamentos da sentença da juíza Lícia Cristina Ferraz de Oliveira, que decretou a prisão, durante o plantão criminal. Por se tratar de crime hediondo, a temporária tem duração de 30 dias, a contar da data da prisão que ocorreu no último sábado, dia 04 de novembro.

Participaram da audiência de custódia, no Fórum Des. Sarney Costa (Calhau), a promotora de justiça Norimar Gomes Nascimento e o defensor público Vinícius Goulart Reis.

A juíza responsável pelo plantão criminal decretou a prisão de Robert Serejo Oliveira em razão de indícios de autoria no crime de homicídio, aliado à necessidade de que sejam prestados maiores esclarecimentos e individualizada a conduta, possibilitando a realização de todas as diligências indispensáveis à apuração.