Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Ortorexia: descubra como tratar o transtorno alimentar

Especialistas afirmam que o primeiro passo para o tratamento é o diagnóstico correto.

Foto: Reprodução

A ortorexia está dando o que falar nas redes sociais. O transtorno alimentar que define a obsessão pela alimentação saudável tem crescido nos últimos anos graças à febre da geração saúde e às musas fitness do Instagram. Mas e aí, ele tem cura? É o que todo mundo se questiona — e o que contamos abaixo.

Especialistas afirmam que o primeiro passo para o tratamento é o diagnóstico correto. “Geralmente são os endocrinologistas que conseguem perceber o distúrbio. Dependendo do grau, encaminhamos para psicólogos ou psiquiatras”, conta Renato Zilli, endocrinologista do Hospital Sírio Libanês.

Como a ortorexia nervosa é um transtorno novo, ainda não tem registro no DSM-5, Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, guia da psiquiatria. Por isso, não há um cronograma ou métodos comprovados para o tratamento do distúrbio.

A psiquiatra Maria Cristina Ferrari acredita que o procedimento deve ser feito analisando cada caso. “Algumas pacientes estão no começo e conseguimos reverter o caso só com psicoterapia”, diz. “Para outras, precisamos aliar remédios, acompanhamento nutricional e psicoterapia.”

“A ortorexia nervosa pode estar atrelada a outros problemas como quadros de ansiedade e sintomas compulsivos. Por isso, é muito importante procurar ajuda a um psicólogo ou psiquiatra”, explica Maria Cristina.

E de acordo com ela, é sempre bom lembrar que nada é imediato. “O paciente ficou certo tempo desenvolvendo ortorexia nervosa. A cura requer tempo e paciência. É um trabalho de ‘formiguinha’. Depois disso, a manutenção também é importante. Quem teve qualquer transtorno alimentar precisa se cuidar sempre.”