Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Resultado pericial do corpo de Alanna estará pronto em duas semanas

De acordo com o superintendente da SPTC, Miguel Neto, os exames realizados pelos peritos do Instituto Laboratorial de Análise Forense constataram sêmen do padrasto de Alanna Ludmilla, identificado como Robert Serejo Oliveira, de 31 anos, no local do crime.

(Foto: Reprodução)

Dentro de duas semanas, será divulgado o resultado do exame cadavérico a que o corpo de Alanna Ludmilla Borges Pereira, de 10 anos, foi submetido no Instituto Médico Legal (IML), no Bacanga, para esclarecer a causa de sua morte. A informação foi dada pela Superintendência da Polícia Técnica Científica (SPTC), órgão ligado à Secretaria de Segurança Pública (SSP). Está previsto ainda o resultado do exame de conjunção carnal e de pesquisa de sêmen, para identificar o autor da violência sexual sofrida pela menor, fato já confirmado pela perícia.

De acordo com o superintendente da SPTC, Miguel Neto, os exames realizados pelos peritos do Instituto Laboratorial de Análise Forense constataram sêmen do padrasto de Alanna Ludmilla, identificado como Robert Serejo Oliveira, de 31 anos, no local do crime.

A criança desapareceu no  1º deste mês e foi encontrada morta no dia 3, enterrada sob entulhos no quintal da sua residência, localizada no Maiobão, em Paço do Lumiar.

O superintendente da SPTC informou ainda que Alanna Ludmilla e Robert Serejo foram  submetidos a uma série de exames periciais pelos profissionais da SPTC e o resultado está previsto para ficar pronto até o fim deste mês. “Todos os resultados dos exames periciais serão encaminhados para a Polícia Civil e anexado ao inquérito policial”, esclareceu Miguel Neto.

A cúpula da Secretaria de Segurança Pública (SSP) determinou a formação de uma comissão de delegados, composta por Lúcio Rogério Reis, Viviane Azambuja, Henrique Mesquita, Paulo Arthur Franco e Cláudio Barros, para investigar para investigar a violência sexual e o assassinato de Alanna Ludmilla.

Lúcio Rogério ainda informou que após esses procedimentos, a polícia vai poder encaminhar o inquérito policial ao Poder Judiciário, para tomar as devidas providências, mas, com autoria e motivação do crime bem definidas.