Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Hospital de Traumatologia e Ortopedia do Maranhão realiza mais de 200 cirurgias em 30 dias

HTO é referência em atendimento de casos de média e alta complexidade.

Foto: Reprodução

O Hospital de Traumatologia e Ortopedia do Maranhão (HTO) oferece atendimento humanizado e de qualidade à população de São Luís. Na quarta-feira (22), quando completou 30 dias desde que foi realizada a primeira cirurgia, a unidade já havia realizado 238 procedimentos cirúrgicos. O hospital é referência em atendimento de casos de média e alta complexidade.

O HTO foi entregue à população no dia 10 de outubro, entretanto as primeiras semanas foram voltadas para consultas, avaliações e realização de exames dos pacientes. As primeiras cirurgias aconteceram no dia 23 do mesmo mês. O goleiro Ruan de Souza Carneiro, do Moto Club, foi o primeiro paciente cirúrgico da unidade. O paciente foi operado por conta de um rompimento completo do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo. No mesmo dia, outras três pessoas passaram pelo centro cirúrgico.

“Nosso compromisso é oferecer um serviço de qualidade para a população. Temos investido na nossa rede para atender de forma humanizada e com celeridade. O HTO teve um impacto grande na vida das pessoas e também em toda a rede. O Hospital de Câncer, por exemplo, passou a atender exclusivamente sua vocação. Assim, vamos conseguindo garantir qualidade de vida aos maranhenses”, disse o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Segundo o diretor clínico do HTO, Newton Gripp, no auge de sua capacidade, o HTO poderá realizar até 400 cirurgias por mês. “Estamos chamando as pessoas que aguardam tanto no início como no fim da fila para cirurgias, porém nem todos comparecem. Estamos analisando os casos, pedindo exames e realizando as cirurgias. Aos poucos, vamos aumentando nossa capacidade, para atender com qualidade e tranquilidade a todos”, comentou.

Além dos procedimentos cirúrgicos, o HTO realizou 2.056 atendimentos ambulatoriais, 2.272 procedimentos de enfermagem, 1.318 exames de raio X, 127 eletro, 61 tomografias, 54 colocações de gesso, 824 sessões de fisioterapia motora e respiratória, e 2.338 análises clínicas até o dia 23 de novembro.

Fim das filas

Dos 238 procedimentos cirúrgicos feitos no período, mais de 100 foram oriundos do Hospital Municipal Dr. Clementino Moura (Socorrão II), trabalho que tem sido feito em parceria com a Prefeitura Municipal de São Luís.

“Estamos dando esse suporte emergencial ao Socorrão II, atendendo pessoas que estão fraturadas e estavam aguardando por uma cirurgia na unidade. Uma estratégia para ajudar esses pacientes de têm urgência para operar”, disse Newton Gripp.

Francisco Aragão, de 67 anos, aposentado e taxista afastado, foi um dos 238 pacientes operados. Ainda jovem, viu a rótula do joelho sair do lugar depois de anos jogando futebol amador, o que lhe rendeu uma prótese. Aos 50 anos, foi diagnosticado com desgaste da peça, que precisou tirar. Há quatro anos, ele luta contra uma infecção no osso (osteomielite). No caso, antibióticos não conseguiam atuar, por isso foi necessário limpar e drenar a área cirurgicamente, o que aconteceu em meados deste mês.

“Há três anos aguardava atendimento lá em Codó. Só laudo de internação, tenho três vencidos. Já havia me consultado lá no Hospital de Câncer (antigo Hospital Geral) há um ano e aguardava ser chamado, quando vi a propaganda na televisão do novo hospital”, relatou.

O Hospital de Traumatologia e Ortopedia tem 44 leitos – dez deles de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) –, três centros cirúrgicos, posto de enfermagem, sala de repouso, salas de curativo e alas especializadas no tratamento pediátrico e de idosos.

Funciona no sistema “portas fechadas”, ou seja, os pacientes precisam ser encaminhados por outras unidades de saúde do estado para serem acolhidos na unidade de traumatologia e ortopedia.

O HTO conta com médicos especialistas em ortopedia e traumas. Cirurgias de ombro e cotovelo, joelho, quadril, coluna, mão e microcirurgia, pé e tornozelo, trauma e ortopediatria estão disponíveis à população, que ainda pode contar com atendimento ambulatorial com marcação de consultas, análises clínicas, exames de imagem (radiologia, tomografia) e eletrocardiografia.

Carregando