Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Turma do Quinto escolheu samba enredo para 2018

Parceria entre Luzian Filho e Josias Filho foi à vencedora.

Josias Filho e Luzian na Turma do Quinto. (Foto: Divulgação)

A Sociedade Recreativa Escola de Samba Turma do Quinto escolheu na madrugada de sábado (25), o samba enredo que vai ser cantado no carnaval de 2018. A proposta vencedora foi dos compositores Luzian Filho e Josias Filho baseada no enredo “Dos Versos do Guriatã a Turma do Quinto canta as 27 Aldeias de Upoan-Açu”, do carnavalesco Washington Coelho.

Da final do concurso de samba enredo participaram ainda as propostas dos seguintes compositores: 01 – Paulo Cobra, Raul Silva e Paulo Junior.02 – Gilvan Mocidade, Wallace Godinho e Zé Lopes. 03 – Franklin Hudson e Jeovah França. 04 – Jailson Pereira e Alisson Ribeiro e 05 – Manoel Henrique.

Com a definição do samba enredo, a diretoria da escola azul e branca parte para gravação do samba enredo oficial, assim como dá a largada para execução do projeto do carnaval, que inclui abertura do barracão, entrega dos figurinos aos diretores de alas e programação festiva com o lançamento do samba enredo.

S.R.E.S Turma do Quinto.
Carnaval de 2018
Enredo: “Dos Versos do Guriatã a Turma do Quinto canta as 27 Aldeias de Upoan-Açu”.
Compositores: Josias Filho e Luzian Filho

Ê morubixaba, a nossa tribo vai guerrear.
Pintada com as cores do seu manto, de azul e branco
Com o canto de arrepiar… ôôô

Sou Quinto
Nativo, sem temer ninguém!
Quer saber o que é paixão, vem pra cá também…..BIS

Inspirada na poesia do mestre da cantoria
Nossa ‘escola’ vai passar
O “Guriatã” cantou, lembrando um pajé com seu maracá.
“Ilha Grande” abençoada, doce morada dos Tupinambás.
Tinha 27 aldeias, herança deixada por nossos ancestrais.
De canoa daqui com ‘cofo’ e uma ‘puça’
Um arco e flecha na mão
Índio precisa caçar….
Hoje tem festança na “maloca”
Meu Quinto vai desfilar!
De “cocar” na cabeça
E “tacape’ na mão
Sou da nação TQ
Do ‘Toré’ da explosão!
Das aldeias de Upoan Açu
Surgiram ensinamentos, costumes e rituais
Não vamos esquecer nossa história
Viva na memória
Nos terreiros e arraias
Nossos guerreiros continuam vivos
Em cada estrela no céu a cintilar
Na poesia… de Humberto e Gonçalves Dias
No toque do tambor, em cada patuá, na culinária, no meu dançar
Nossa Madre Deus é resistência
Aqui a pajelança é pra consciência

Carregando