Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Governo incentiva doação de leite materno e frascos adequados para o armazenamento

Os recipientes podem ser entregues em um dos seis postos no estado.

Foto: Reprodução

O Governo do Estado incentiva doação de leite materno e frascos adequados para o armazenamento e abastecimento das unidades estaduais de saúde. Para fazer a doação, as mães lactantes recebem orientação dos profissionais de saúde na rede de banco de leite e postos de coleta, na capital e interior. A medida fortalece a rede materno-infantil, com foco na redução das taxas de mortalidade neonatal.

Para manter, entretanto, abastecidos os bancos de leite, as unidades recebem também doações de frascos de vidro para armazenar o leite materno para alimentar os bebês internados em UTIs neonatais, bem como da doação do leite humano.

“Os bancos têm a necessidade permanente da doação tanto dos frascos, quanto do leite materno. Ainda temos questões culturais que influenciam isso e que dificultam a coleta”, comenta Marielza Cruz Sousa, chefe do Departamento de Atenção à Saúde da Criança e Adolescente (Dasca) da Secretaria de Estado da Saúde.

Os recipientes precisam ser de vidro, com a boca larga e com a tampa de plástico, com capacidade de 150 a 300 ml. Os ideais são os de cafés solúveis ou de maionese, que possuem todas as especificações.

Os recipientes podem ser entregues em um dos seis postos no estado. Em São Luís, os frascos podem ser doados no Banco de Leite Humano da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão (antiga Maternidade Marly Sarney), Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos, no Banco de Leite Humano do Hospital Universitário Materno Infantil e na Sala de Apoio à Amamentação da Unidade Mista do São Bernardo.

No interior do estado, os bancos de leite humano do Hospital Regional Materno Infantil, em Imperatriz, e Dr. Fernando Vieira Chaves e posto de coleta de leite humano vinculado ao Banco de Leite Humano, ambos em Caxias, recebem os frascos.

Além dos recipientes, Marielza Cruz Sousa destaca a importância da doação do leite materno. “Muitas mães acham que doando vão deixar de produzir, mas o que pedimos é o excesso. Muitas produzem muito leite e acabam estragando. Por isso, reforçamos desde o pré-natal a importância de doar leite. Esse leite doado é pasteurizado para depois ser usado. O importante é: doar leite é um ato de amor que pode salvar uma vida”, ressalta.

Doação de frascos

Os recipientes são usados em todo processo, desde a coleta do leite humano, quando são enviados esterilizados paras as mães doadoras, até o processo de pasteurização e armazenamento do leite. A vida útil destes frascos é menor do que de um vidro comum, uma vez que passam por processos e variações de temperatura.

“Usamos uns 120 frascos diariamente. Trabalhamos no limite, mas acontece de zerar. As vezes, porque aumentam as doações. Mas acontece das doações estarem baixas e não ter frasco, porque vai se perdendo [os frascos] no processo. Ele é lavado, esterilizado, vai para a casa da doadora, fica na geladeira. Isso tudo diminui a durabilidade. Por isso precisamos fazer sempre campanhas de arrecadação”, explica Irenildes Costa, supervisora do Banco de Leite Humano da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão.

Para o caso de doações de grandes quantidades – a partir de 10 unidades -, o Banco de Leite Humano da Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão manda buscar no local. Foi o caso da arrecadação conseguida através de uma gincana com cerca de 650 alunos do C.E. Professora Dayse Galvão de Sousa, no bairro da Vila Embratel, ligada à rede estadual de ensino, quando mais de 500 frascos foram recolhidos.

“A arrecadação é uma das baterias da gincana desde 2013. Assim como doação de sangue e arrecadação de alimentos. Os alunos tanto do vespertino, quanto do matutino se empenham bastante”, conta a professora de Arte, Clara Sampaio, que juntamente às professoras Georgina (Português) e Lavínia (Sociologia) organizam a brincadeira.

Segundo Clara Sampaio, a gincana é uma oportunidade para praticar uma educação mais cidadã, formando jovens conscientes. “Os alunos aprendem a ser solidários e organizados. Surgem também líderes”, relata.

A enfermeira Célia Rosa Oliveira também é uma doadora permanente há anos. Consciente sobre a importância para os bebês que necessitam do leite, ela usa café solúvel e já pensa na doação quando faz a compra. Também está sempre pedindo para amigos e conhecidos do trabalho. “É um ato de solidariedade, de compreensão e ainda preserva o meio ambiente. Iria para o lixo. As crianças precisam desse pequeno ato”, ressalta.

Carregando