Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Porto do Itaqui atrai novos investimentos privados

Entre as obras de infraestrutura, segurança e ampliação do porto que foram concluídas neste ano estão o novo Centro de Controle Operacional, melhorias no Pátio de Regulação de Carretas, sistema de iluminação da área primária, dentre outras.

Foto: Reprodução

Para modernizar a infraestrutura do Porto do Itaqui e consolidá-lo como hub logístico do Corredor Centro Norte do país a Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP) investiu, de 2015 para cá, um total de R$ 108 milhões.

Entre as obras de infraestrutura, segurança e ampliação do porto que foram concluídas neste ano estão o novo Centro de Controle Operacional, melhorias no Pátio de Regulação de Carretas, sistema de iluminação da área primária, pavimentação de berços e serviços complementares no Berço 108, que deve entrar em operação no primeiro trimestre de 2018.

Em sintonia com os investimentos que a EMAP vem realizando, as empresas que integram a comunidade portuária vêm também apostando no crescimento do Maranhão a partir do Porto do Itaqui. Um exemplo desse movimento é a aquisição de um guindaste Gottwald Model 4 Habour Crane com capacidade de operar navios Panamax de 80 mil toneladas ou para 4.500 contêineres e de quatro novos grabs (conchas) pela Companhia Operadora Portuária do Itaqui (COPI), responsável pelo desembarque de fertilizante e agora também com capacidade para operar navios conteineiros.

“Em linha com o aumento da carga de fertilizantes esses novos equipamentos vêm adicionar capacidade produtiva à operadora, proporcionando maior flexibilidade de produção para o Porto do Itaqui. Esses guindastes estão servindo à nova estrutura de equipamentos que chega para atender o aumento de produtividade e também as operações com contêineres. É investimento público nosso, com a área de armazenagem, conectado ao investimento do setor privado, com superestrutura”, avalia o diretor de Planejamento e Desenvolvimento da EMAP, Jailson Luz.

As operações iniciadas com esses equipamentos, associadas à modernização do sistema de gestão operacional do Itaqui, resultaram em recorde na movimentação de fertilizantes, com 1,6 milhão de toneladas até o final de novembro e recorde na produtividade alcançado em 30 de novembro, quando foram movimentadas 15,2 mil toneladas em 24 horas.