Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Maranhão ganha Centro de Processamento Celular para transplante de medula

Com investimento de R$ 7 milhões, o Centro terá capacidade de armazenamento de 3.623 unidades de sangue de cordão umbilical.

Foto: Reprodução

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (Hemomar) ganhará o primeiro Centro de Processamento Celular – Rede BrasilCord (CPC) do Maranhão, nesta sexta-feira (15), às 14h. A unidade permitirá a seleção e preparo de materiais para a realização de transplantes de medula óssea no estado, servindo como base para que seja desenvolvido o Centro de Transplantes de Medula Óssea na região.

Com a estrutura, os pacientes não vão precisar viajar longas distâncias para o procedimento e aumentam as chances de localizar material compatível para doação no Brasil e no exterior.

Com investimento de R$ 7 milhões, o Centro terá capacidade de armazenamento de 3.623 unidades de sangue de cordão umbilical. A unidade abrirá uma perspectiva sem precedentes para tratamento de diversas doenças hematológicas, como leucemias, linfomas, aplasias de medula, e até algumas anemias hereditárias, e será também um novo eixo de treinamento médico, de pesquisa e terapia celular.

O novo Centro contará com equipamentos e tecnologia de última geração, além de equipe qualificada que recebeu treinamento no Instituto Nacional de Câncer (Inca), no Rio de Janeiro.

Por meio de iniciativa do Ministério da Saúde, o CPC de São Luís é o 14º a ser inaugurado no país, com gestão da Fundação do Câncer, supervisão técnica do Instituto Nacional de Câncer (Inca) e financiamento total do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES).

Sobre o Centro de Processamento Celular – Rede BrasilCord
Realiza o processamento e a criopreservação de células-tronco obtidas de três fontes principais: do sangue periférico por aférese, da medula óssea por punção e aspiração e também do sangue de cordão umbilical e placentário.

As células-tronco são essenciais para o transplante, pois são a matriz regeneradora de todos os componentes do sangue e por isso permitem o tratamento de diversos tipos de doenças hematológicas (leucemias, linfomas, aplasias de medula e algumas anemias hereditárias), entre outros.

Criada em 2004, a Rede BrasilCord possui atualmente 13 CPCs, localizados em Belém (PA), Brasília (DF), Campinas (SP), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Florianópolis (SC), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Ribeirão Preto (SP), Lagoa Santa (MG), Rio de Janeiro (RJ), além de dois em São Paulo (SP).