Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Em 2017, passaram pela Ponta da Espera e Cujupe 1,8 milhão de pessoas e 371,5 mil veículos

Somente no mês de dezembro quase 180 mil pessoas atravessaram a Baía de São Marcos.

(Foto: Divulgação)

A movimentação nos terminais de ferryboat da Ponta da Espera e do Cujupe em 2017 foi a maior da história, com 1,8 milhão de passageiros e 371,5 mil veículos. Somente no mês de dezembro quase 180 mil pessoas atravessaram a Baía de São Marcos. A semana do Natal (21 a 26/12) foi a mais movimentada, com aumento de 13% em relação ao mesmo período de 2016.

O aumento se deve à crescente interação comercial entre a capital e os municípios da Baixada Maranhense. Além disso, a viagem de ferry boat também encurta a distância até o Pará, o que representa uma tendência de crescimento da movimentação nos terminais a cada ano. Atenta a esse cenário a EMAP – Empresa Maranhense de Administração Portuária – vem investindo em obras nos terminais e transformando a realidade de milhares de pessoas, muitas delas que fazem essa travessia diariamente.

“A melhor infraestrutura dos terminais e a disponibilidade da compra de passagens pela internet faz o usuário que vem de longe ter certeza de realizar sua viagem”, avalia o gerente de Terminais Externos da EMAP, Glauco Vaz.

Investimento em qualidade

O Governo do Maranhão vem empreendendo uma força-tarefa para a melhoria do serviço de transporte aquaviário. Além do trabalho realizado pela EMAP, que responde pela infraestrutura e segurança dos terminais, em 2015 foi criada a MOB – Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos –, responsável pelo planejamento, coordenação, concessão, permissão, autorização, regulamentação, inspeção e fiscalização dos serviços públicos de transporte aquaviário intermunicipal de passageiros, cargas e veículos e atua com apoio da EMAP nos terminais.

“As pessoas também vêm contribuindo para a eficiência do serviço, planejando sua viagem com antecedência. Do mesmo jeito que ninguém vai para o aeroporto sem bilhete as pessoas começaram a entender que ir ao terminal sem passagem não garante a viagem”, explica o gerente.

Em 2016 a EMAP entregou uma área de vivência na Ponta da Espera. Do Cujupe foram entregues as passarelas cobertas de acesso às rampas de embarque e iniciadas as obras de construção do novo terminal, com o dobro de área construída.

E em 2017, com investimento de R$ 1.464.748,39, foram entregues uma nova unidade de segurança pública para abrigar as operações da PM, reforçando a segurança da Ponta da Espera, nova cobertura do prédio da Receita Estadual, que controla a circulação de mercadorias, além de melhorias no acesso principal do terminal.

As obras do novo Terminal do Cujupe têm inauguração prevista para o primeiro semestre deste ano. A nova estrutura contará com uma rodoviária integrada ao sistema de transporte aquaviário, além de boxes para comercialização de alimentos, salão de embarque e estacionamento.

 

(EMAP)