Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

YouTube muda e fica mais difícil ganhar dinheiro com pequenos canais

Entenda as novas regras para ganhar dinheiro com canal no YouTube

Foto: Reprodução

O YouTube divulgou, na última terça-feira (16), mudanças na política de pagamento aos donos de canais na plataforma. Os criadores de conteúdo precisarão seguir regras mais rígidas para ganhar dinheiro por meio do programa de parceiros do site. A novidade gerou polêmica entre a comunidade YouTuber, pois tornou mais difícil que pequenos canais ganharem dinheiro no site.

De acordo com publicação no blog oficial, a decisão de mudar a forma de monetização é para evitar que vídeos inapropriados e youtubers mal-intencionados possam lucrar no YouTube, além de garantir uma renda mais estável e um melhor ambiente para os anunciantes.

Para ter anúncios veiculados em seus vídeos os criadores de conteúdo precisarão ter, pelo menos, 4 mil horas de visualizações em vídeos nos últimos 12 meses e, no mínimo, mil inscritos.

Essas condições já estão sendo implementadas para novos canais e a partir de 20 de fevereiro as regras também serão estendidas para os donos de canais que estão há mais tempo na plataforma. Os criadores de conteúdo que não cumprirem as exigências terão um prazo de 30 dias para se adequar às regras. Caso contrário, perderão a possibilidade de ganhar dinheiro no site.

De acordo com o YouTube, as mudanças devem afetar um número significativo de canais. No entanto, 99% das pessoas afetadas estavam ganhavam menos de US$ 100 por ano — e desses, 90% ganharam menos de US$ 2,50 no último mês.

Como funciona a monetização no YouTube

A monetização no site acontece da seguinte forma: os criadores de conteúdo precisam seguir algumas regras para fazer parte do YouTube Partner Program (Programa de Parceiros do YouTube, em português). Por exemplo, em 2017 os requisitos para ganhar dinheiro no site eram menores. Os youtubers precisavam ter 10 mil visualizações nos vídeos para começar a lucrar.

O programa de parceiros permite que os donos de canais ganhem monetização com anúncios veiculados nos seus próprios vídeos ou através de assinaturas do YouTube Red – versão paga do site que não tem propagandas para o público.