Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Aula prática de Medicina Legal desperta a atenção para a estrutura do esqueleto humano

Houve, em uma aula prática ocorrida no domingo (21), a montagem de um esqueleto humano, como parte do módulo de Medicina Legal, ministrado pelo perito criminal Fábio Delwing.

Os alunos e alunas da pós-graduação ficaram satisfeitos após a aula prática. (Foto: Divulgação)

Por Nelson Melo

O último fim de semana foi muito produtivo, em termos de conhecimento, para os alunos e alunas da pós-graduação em Perícia Criminal, do Instituto Nacional de Perícias e Ciências Forenses (Infor/MA). Houve, em uma aula prática ocorrida no domingo (21), a montagem de um esqueleto humano, como parte do módulo de Medicina Legal, ministrado pelo perito criminal Fábio Delwing.

No decorrer da aula prática, o professor Fábio mostrou aos discentes da especialização a estrutura da coluna vertebral, composta por sete vértebras cervicais, doze torácicas e cinco lombares. O perito criminal falou sobre as 12 costelas, sendo 7 verdadeiras, 3 pares falsas e 2 pares flutuantes. Graduado em Odontologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e mestre em Odontologia Legal e Deontologia, ele ensinou como diferenciar, em uma análise preliminar, um esqueleto masculino do feminino.

Conforme Delwing, que é odontolegista da Polícia Civil do Maranhão, os ossos no homem são maiores, mais pesados, mais robustos, e com inserções musculares mais marcadas. Já nas mulheres, os ossos são menores, mais leves, mais delicados e com inserções musculares mais discretas. No sexo masculino, prosseguiu em sua aula o professor Fábio, o crânio, em sua parte frontal, é inclinado para a posterior, sendo que, no sexo feminino, o frontal é mais vertical.

Mas o fim de semana não se resumiu apenas à montagem do esqueleto, pois os alunos e alunas também aprenderam bastante no que tange à Traumatologia Forense, que estuda os aspectos médico-jurídicos das lesões, incluindo a extensão do dano, seu prognóstico, suas repercussões socioeconômicas e suas limitações profissionais. O professor lecionou sobre a diferença entre lesões (atingem a epiderme e não resultam em cicatriz) e feridas (atinge a camada da derme e provoca um extravasamento circulatório).

Em um momento importante, mostrou-se a distinção entre esgorjamento (quando a ferida afeta a porção anterior ou lateral do pescoço), degola (quando a ferida atinge a porção posterior do pescoço) e decapitação (quando ocorre a separação da cabeça ao corpo). Cabe ressaltar, nesse ponto, que muitos jornalistas e até membros da segurança pública confundem esses termos. Nesse sentido, é extremamente relevante que repórteres não transmitam conhecimento errado aos seus leitores, a fim de oferecerem um conteúdo científico ao receptor da mensagem.

Sobre a pós-graduação: a especialização em Perícia Criminal do Infor/MA contém, além de Medicina Legal, outros módulos, como, por exemplo, Introdução à Criminalística e Local de Crime, Documentoscopia Forense, Hematologia Forense, Perícia Ambiental, Química Forense, Psiquiatria Forense, Balística Forense, Acidente de Trânsito e Identificação Veicular, Fotografia Pericial e Engenharia Legal. O Infor/MA fica na Rua do Outeiro, Edifício Orlando Araújo, no Centro de São Luís, por trás do Hospital Português. Os contatos são: (98) 3303-9119/98848-3170/98154-1094.

 

Carregando