Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Dicas para concursos: Técnica da Revisão Comprimida – O que é e como fazer

A técnica da revisão comprimida se baseia na curva do esquecimento. Compreender o ciclo de memorização feita pelo cérebro é essencial para que você estude melhor e se lembre com mais eficiência do que aprendeu.

Foto: Reprodução

Vamos falar de uma técnica que cada vez mais tem se popularizado no Brasil entre os concurseiros: a técnica da revisão comprimida. Ela se baseia na teoria da curva do esquecimento, que já falamos aqui no blog, e que pode ser uma ótima alternativa para você reforçar, memorizar e até mesmo aprender melhor.

A revisão é uma etapa muito importante dos seus estudos e faz toda a diferença na sua aprovação em concursos públicos. Sem ela, dificilmente você vai ter bons resultados. Com a técnica da revisão comprimida, é possível ter um rendimento de até 90% a mais nos seus estudos, já que você vai conseguir assimilar melhor o conteúdo, bem como utilizar os mecanismos neurológicos a seu favor.

O que é a curva do esquecimento?

Como já disse anteriormente, a técnica da revisão comprimida se baseia na curva do esquecimento. Compreender o ciclo de memorização feita pelo cérebro é essencial para que você estude melhor e se lembre com mais eficiência do que aprendeu.

A teoria se baseia nas descobertas do filósofo alemão Hermann Ebbinghaus, em 1885, que afirmou que a curva mostra o quanto de informações nosso cérebro é capaz de reter, ou seja, de memorizar, ao longo do período de estudo.

A curva tem início no ponto zero e passa a ser considerada um pouco antes do momento em que o estudante inicia os seus estudos. Ao terminar os seus estudos sobre um conteúdo qualquer, a curva atinge o ponto máximo. Aqui, você está apto a lembrar de 100% do assunto compreendido – veja que aprender é essencial para memorizar.

Ao passar dois dias, há uma perda significativa de memória sobre o conteúdo aprendido se você não fizer uma revisão adequada. Cerca de 70% do conteúdo pode ser perdido. São nas primeiras horas que o estudante perde mais memória. Logo, são nestas horas que precisa reforçar e revisar o que aprendeu.

Caso não faça uma revisão assertiva nas primeiras horas e depois de dois dias, após um período de 30 dias, pouca coisa você se lembrará sobre o conteúdo que aprendeu. Como para o concurseiro a quantidade de disciplinas é grande e muitas vezes se começa a estudar bem antes da publicação do edital, perder o conteúdo estudado desta forma é inaceitável.

Utilize a técnica da revisão comprimida

É considerando a curva do esquecimento que muitos teóricos idealizaram o que conhece hoje como técnica da revisão comprimida. É muito simples: aproveite para fazer a sua revisão, de forma bem adequada, até 24 horas após os seus estudos. O ideal é fazer uma no mesmo dia.

A cada 7 dias reforce a revisão do conteúdo aprendido. Perto da prova, revise de forma mais intensa. Faça sempre pausas de 7-10 minutos entre a revisão e as próximas atividades. Utilize também uma rotina de estudo – o cérebro funciona por associação e por rotinas. Não seja displicente: revise o que você sabe e retorne ao conteúdo caso surjam dúvidas.