Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Orçada em R$ 800 milhões, primeira fase da obra do Porto São Luís deve gerar quatro mil empregos

Pedra fundamental do terminal de uso privado foi lançada nesta sexta-feira (16), com a presença de executivos chineses

A comunidade Cajueiro, localizada nas proximidades da Vila Maranhão, foi o local escolhido para a implantação de um porto privado no Maranhão: o Terminal São Luís, que deverá gerar na sua primeira fase, orçada em R$ 800 milhões, cerca de quatro mil empregos. O projeto do porto é de um Terminal de Uso Privado (TUP), com área de 200 hectares, sendo 550 mil de área de proteção ambiental. Nessa sexta-feira (16), aconteceu o lançamento da pedra fundamental do porto, no Hotel Pestana, no bairro do Calhau, com a presença de comitiva com 65 empresários e altos executivos chineses, além da participação do governador Flávio Dino.

O Terminal São Luís fica próximo ao Porto do Itaqui. Ele atenderá às regiões central, norte e nordeste do Brasil, interligado pelas ferrovias Norte-Sul e Carajás. A capacidade de movimentação do novo terminal é de cerca de 10 milhões de toneladas por ano, sendo 7 milhões de soja e milho, 1,5 milhão de fertilizantes, 1,5 milhão de carga geral, e 1,8 mil metros cúbicos de derivados de petróleo. No local, serão construídos seis berços, sendo quatro na primeira fase, e os outros dois na segunda; além de uma ponte de acesso.

Empresários Chineses e o Governador Flávio Dino durante lançamento do Porto São Luís. (Foto Gilson Ferreira)

A construção do terminal conta com o consórcio da China Communications Construction Company (CCCC), que é a maior empresa de infraestrutura da China e a quinta maior do mundo, tendo em setembro de 2017 comprado 51% de participação no Porto São Luís. Entre as obras com a assinatura da empresa está a maior ponte do mundo, que liga Macau e Zhuai, com 55 quilômetros de extensão.

Durante a solenidade de lançamento da pedra fundamental, no Hotel Pestana, o presidente internacional da China Communications Construction Company, Chen Zhong, tratou sobre os pontos do empreendimento, das condições naturais favoráveis do local onde o porto será construído, e de toda a cadeia produtiva de investimentos.

O projeto tem o apoio do governo do Maranhão. De acordo com o governador Flávio Dino, daqui a três anos ele espera se reencontrar com a comitiva de chineses para a inauguração do Porto São Luís. “Considero muito importante as empresas maranhenses terem essa abertura de oportunidades e negócios. Em 2017, o Maranhão foi o estado que mais cresceu no país, e com taxas chinesas. Tenho certeza que neste ano e nos próximos crescerá mais ainda com esse porto, que será um grande sucesso, que hoje (ontem) iniciamos”, disse Flávio Dino.

OUTROS INVESTIDORES

Além da China Communications Construction Company (CCCC), o Porto São Luís possui mais dois investidores. A WPR, empresa de infraestrutura do empresário Walter Torre Júnior; e a Lyon Capital, empresa de private equity independente que prospecta oportunidades de negócios, especialmente na área de infraestrutura em toda a América Latina, tendo Paulo Remy Gillet Neto, Nilton Bertuchi e Roberto Ferrari, como principais acionistas.