Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Lobão gastou quase meio milhão de reais da cota parlamentar em 2017

A falta de imagens das notas fiscais não permite auditagem precisa por parte dos cidadãos.

Foto: Reprodução

Edison Lobão (MDB) é o senador maranhense que mais usou a cota parlamentar em 2017, de acordo com pesquisa realizada pelo portal de notícias G1. Segundo o levantamento, o senador utilizou R$ 432.554,01. O maior gasto foi para pagamento de aluguel de imóveis e despesas relacionadas, totalizando R$ 144.699,75.

Em segundo lugar apareceu o senador Roberto Rocha (PSDB), que utilizou R$ 414.908,63 da verba. Seus maiores gastos também são referentes a aluguel de imóveis. As cifras totalizam R$ 109.721,87.

João Alberto Souza (MDB) aparece em terceiro, com gastos de R$ 363.076,03 porém, diferente dos dois primeiros, os maiores valores pagos ao senador foram referentes aos custos de locomoção, hospedagem e alimentação, que alcançaram R$ 133.234,20 ao longo de 2017.

O valor máximo mensal liberado para uso da cota para os senadores maranhenses é de R$ 37.396,60.

Em contato com a redação do JPOnline, o senador Roberto Rocha afirmou que os gastos estão dentro do que determinam as normas da Mesa Diretora do Senado e que seus gabinetes estão à disposição da imprensa para prestar os esclarecimentos necessários.

A reportagem ainda aguarda uma posição do senador Edison Lobão e João Alberto.

Os gastos dos senadores brasileiros

Notas fiscais que totalizam R$ 30 mil em viagens de jatinho em apenas um mês. Hospedagens em flats de luxo nos fins de semana. Refeições que ficam bem acima do valor médio pago por um almoço no Brasil – com a conta passando de R$ 1.000. Esses são alguns dos reembolsos solicitados pelos senadores em 2017, segundo levantamento divulgado pelo portal G1. Os gastos com a cota parlamentar somam R$ 26.633.775,04.

Foram apresentadas 26.964 notas fiscais referentes a despesas no ano passado. O prazo final para o lançamento dos pedidos de reembolso foi 31 de março deste ano. As despesas são feitas não só pelos senadores, mas também por servidores lotados em seus gabinetes. São, em média, mais de 2.000 notas fiscais por mês.

A nota com o valor mais alto apresentada em 2017 é do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). O documento registra gastos de R$ 270 mil com serviços de divulgação parlamentar prestados pela empresa Start Print Comunicação Visual Eireli. O pedido de reembolso foi apresentado em dezembro de 2017. Em nota, o chefe de gabinete do senador, Paulo Boudens, diz que o dinheiro pagou a impressão de 70 mil revistas de divulgação da atividade parlamentar.

Também em dezembro, Hélio José (PROS-DF) e Sérgio Petecão (PSD-AC) tiveram notas fiscais de valores altos por divulgação parlamentar. O senador do DF teve gastos de R$ 76,2 mil com a Ficxar Comunicacao Eirelli – ME. Já o senador do Acre apresentou duas notas fiscais de serviços prestados pela empresa Reis Grafica e Comercio de Etiquetas Eireli ME. Elas registram os valores de R$ 74,1 mil e R$ 68,4 mil.

Os senadores campeões em reembolsos em 2017 foram, em ordem: Davi Alcolumbre (DEM-AP), João Capiberibe (PSB-AP) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). Logo em seguida aparecem Eduardo Braga (MDB-AM), Romero Jucá (MDB-RR) e Omar Aziz (PSD-AM). Os gastos anuais de cada um variaram de R$ 480.859,80 a R$ 512.645,05.

Carregando