Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Autor de latrocínio contra vendedor é condenado a 25 anos de reclusão em São Luís

A investigação sobre esse caso foi realizada pelo delegado Marcos Affonso Júnior e sua equipe de investigadores, que capturaram o criminoso no Santo Antônio.

Marcelo Bulhões foi condenado como resultado da investigação do DPP. (Foto: Gilson Ferreira)

Sentença
Por Nelson Melo

Marcelo Bulhões Lima, o “Bebezão”, de 31 anos, foi condenado a 25 anos, 10 meses e 17 dias de reclusão pelo latrocínio que teve como vítima Laelson Carlos Nogueira, 32, que era vendedor e foi morto no Cohatrac 2, em São Luís no dia 14 de junho de 2016. A sentença do acusado foi proferida em abril deste ano e foi divulgada nesta quarta-feira (16) pelo delegado Marcos Affonso Júnior, responsável pelo inquérito deste caso, ao Jornal Pequeno.

Conforme Affonso Júnior, “Bebezão” foi sentenciado pela 2ª Vara Criminal, por meio do juiz José Ribamar Costa Júnior, pelo artigo 157, parágrafo 3°, do Código Penal Brasileiro (CPB), cumulado com o artigo 288, parágrafo único, igualmente do CPB. E artigo 244 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Como relembrou o delegado, o criminoso estava preso desde o dia 23 de agosto de 2016, quando a equipe do Departamento de Proteção à Pessoa (DPP), um setor da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), localizou o então suspeito no bairro do Santo Antônio.

O latrocínio: Affonso Júnior recordou que o crime aconteceu no dia 14 de junho, mas, dez dias antes, Marcelo e João Vítor mantiveram contato com Laelson Nogueira, simulando estar interessado em Iphones, tendo em vista que a vítima os colocava à venda OLX. Depois de conquistar a confiança do vendedor, os criminosos conversaram com Nogueira pelo WhatsApp, marcando um encontro, para que levassem o dinheiro referente à compra dos aparelhos.

Os suspeitos, então, compareceram à residência de Laelson, no Cohatrac 2, e, de imediato, anunciaram o assalto, com um revólver em punho, rendendo-o e sua família. Depois de separar seis celulares, disse o titular do DPP, a dupla começou a se retirar do imóvel, mas, na fuga, “Vitinho” atirou na vítima, que estava com os braços para cima, com as mãos detrás da cabeça, em sinal de rendição.

 

Carregando